CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Mitos e verdades sobre acne e chocolate, segundo dermatologistas

Especialistas dizem que não é preciso se abster do chocolate na Páscoa, mas recomendam redobrar cuidados com a pele

Por Joana Oliveira Atualizado em 14 abr 2022, 16h03 - Publicado em 15 abr 2022, 08h53

Com o feriado de Páscoa chegando e o tradicional aumento do consumo de doces nesse período, cresce também a preocupação com a pele. Mas esse manjar feito de cacau é realmente o pior inimigo do skin care? Para a dermatologista Carla Albuquerque, a relação entre acne e chocolate não é bem assim. “O cacau em si não é inimigo da pele. Pelo contrário, ele possui antioxidantes e polifenóis que podem trazer benefícios. A questão é que alimentos que apresentam alto índice glicêmico podem causar acne ou piorar quadros preexistentes”, explica.

A especialista diz que o problema é que a maioria dos bombons, barras e ovos de chocolate têm grande quantidade de açúcares refinados (carboidratos) e elevado índice glicêmico, o que aumenta a produção de insulina e, consequentemente, estimula outros hormônios que aumentam a produção de sebo na pele. “É isso que aumenta a oleosidade e predisposição à acne.”

O cacau é um potente antioxidante, muito rico em polifenóis, que ajudam a prevenir o envelhecimento. Portanto, não é ele o responsável pelos malefícios, mas sim o leite e a gordura saturada que são adicionados a ele no preparo do produto final”, complementa a também dermatologista Ana Paula Fucci. Ela recomenda evitar o chocolate ao leite e o chocolate branco, que têm maior índice glicêmico que os demais. “Além de estimular a produção de sebo e oleosidade, o alto teor de açúcar nas células danifica o colágeno e a elastina, provocando envelhecimento, rugas e flacidez”, acrescenta.

As especialistas dizem que não é necessário abolir a iguaria das comemorações de Páscoa, mas recomendam evitar o excesso e comer as opções mais saudáveis, que contenham maior concentração de cacau, como os amargos.  “Quanto maior a concentração de cacau no chocolate, melhor a qualidade, diz Carla.

Prevenção

Mais de 80% da população brasileira tem problemas dermatológicos e quase 50% tem a pele oleosa, de acordo com uma pesquisa Ipsos encomendada pela farmacêutica TheraSkin. Por isso, o dermatologista Antonio Gomes Neto recomenda prevenir a acne e não se preocupar apenas quando as espinhas já estão presentes. “Uma boa limpeza e hidratação do rosto e corpo com produtos destinados à pele oleosa e a mudança de hábitos alimentares, evitando o excesso de açúcares e alimentos inflamatórios, que estimulam o surgimento da acne, são uma alternativa”, conta.

Antonio acrescenta que lavar o rosto com sabonete indicado para peles com tendência acneica ajuda no combate da oleosidade, diminuindo as chances de aparecimento de espinhas. “Mas as lesões de acne que já apareceram devem ser tratadas com produtos próprios, seguindo a indicação médica. Jamais se deve espremer as espinhas, pois, além de piorar a inflamação, pode criar cicatrizes indesejadas”, ressalta.

Carla Albuquerque lembra que “o cravo de hoje pode ser a espinha de amanhã” e, por isso, recomenda intensificar os cuidados antes de se acabar no chocolate na Páscoa. “Se possível, faça uma limpeza de pele profunda com uma boa esteticista, para extrair todos os cravinhos da pele da face. Intensifique a limpeza do rosto, usando sabonetes adequados para seu tipo de pele e água micelar. Não se esqueça de retirar a maquiagem todas as noites e aplique um ácido que estimule a renovação celular, preferencialmente indicado por um dermatologista”, orienta. 

Chocolate como aliado

Apesar dos açúcares que contém, o chocolate também pode funcionar como um aliado da beleza, devido ao grande poder de hidratação, como lembra Ana Paula Fucci.  ” O uso das máscaras de chocolate, por exemplo, pode ser indicado para peles muito secas ou foto-envelhecidas”, diz. Outro procedimento é o peeling de chocolate, que, quando aplicado sobre a pele, aumenta a circulação sanguínea e melhora a nutrição e hidratação das células. “Esse procedimento pode ajudar no tratamento de melasma, manchas hipercrômicas superficiais (escurecidas), manchas causadas pelo fotoenvelhecimento, pele flácida e sequelas de acne, como cicatrizes”, explica a dermatologista Luciana de Abreu.  
As especialistas lembram que o cacau, em si, é um rico antioxidante e tem substâncias (polifenóis) que combatem os radicais livres (moléculas liberadas pelo metabolismo do corpo com elétrons altamente instáveis e reativos, que podem causar doenças degenerativas de envelhecimento e morte celular). Para aproveitar esses benefícios, no entanto, é preciso consumir o chocolate com moderação. “Em doses moderadas e dando preferência para produtos com 70% ou mais de cacau, o chocolate faz bem para o organismo”, conclui Ana Paula. 
Continua após a publicidade

Publicidade