Vi medo nos olhos do meu neto, diz mãe de Eliza sobre Bruno fora da prisão

Segundo ela, a criança tem medo de ver o homem que matou sua mãe

O goleiro Bruno, condenado pela morte de Eliza Samudio, foi autorizado pela Justiça a ir para o regime semiaberto e, na noite de sexta-feira (19), já deixou a prisão. Ao UOL, a mãe de Eliza, Sonia de Fátima Moura, que ficou com a guarda do filho do casal, disse que a criança de nove anos não quer ter contato com o pai porque tem medo. “Nem iria falar para o Bruninho [do semiaberto], estava aguardando o melhor momento, mas aconteceu de ele ver o jornal. Foi um dia difícil para mim e para ele. Vi nos olhos do meu neto o pavor de saber que o assassino de sua mãe estava sendo solto.”

+ Mãe de Eliza Samudio conta como neto descobriu que pai cometeu crime

Eliza Samudio desapareceu em 2010, quando tinha 25 anos, e o corpo dela nunca foi encontrado. Bruninho, o filho do casal, era recém-nascido e o goleiro, que jogava pelo Flamengo, não reconhecia a paternidade da criança, que hoje mora com a avó em Mato Grosso do Sul. Segundo a mãe de Eliza, fisicamente, o menino “é xerox do pai”. Em 2013, Bruno foi condenado por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, sequestro e cárcere privado do filho. Na época do crime, chegou a circular a informação de que cúmplices da morte tinham dado o corpo de Eliza para que cachorros de uma chácara comessem. Isso foi desmentido e nunca comprovado.

+ VEJA os assuntos que mais estão bombando nas redes sociais

Bruno Fernandes de Souza já havia cumprido regime semi-aberto antes, mas a divulgação de um vídeo em que aparece ao lado de mulheres em um bar enquanto deveria estar prestando serviços a uma entidade de apoio aos detentos fez com que ele perdesse o benefício, depois retomado.

 

 (UOL/Paulo Renato Coelho Netto/Reprodução)

+ Relacionamento abusivo: saiba se você está em um no podcast Senta Lá, CLAUDIA