CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Óleo de coco: saiba os benefícios para usá-lo até como lubrificante

Farmacologista explica todas as vantagens de usar o óleo de coco na rotina de autocuidado

Por Paula Jacob Atualizado em 23 mar 2022, 08h29 - Publicado em 23 mar 2022, 08h30

Vai dizer que você nunca usou o óleo de coco para dar aquela hidratada no cabelo ou como alternativa aos cremes para fazer automassagem? A sensação de maciez e brilho que fica no pós tem motivo: a composição rica em lipídios de cadeia média – que têm alta afinidade com a pele e o cabelo. “Além disso, possui uma boa capacidade de absorção e também a de repor, para os fios e para a pele, componentes essenciais como antioxidantes e os próprios lipídios que reforçam a barreira de proteção”, explica Jackeline Alecrim, farmacologista especialista em Cosmética Avançada e Produtos naturais de plantas e derivados. A seguir, um guia para você entender como usar o óleo de coco de diversas formas na sua rotina de autocuidado, inclusive como lubrificante íntimo (sim!):

mulher de cabelos crespos
Use óleo de como para reparação das pontas Prostock-Studio/Getty Images

No cabelo

Existem três formas básicas de usar o óleo de coco no cabelo: com a umectação capilar, pré-poo e como óleo de finalização. “A primeira é a mais difundida, mas é importante fazer a aplicação correta e, principalmente, a remoção do óleo.” A especialista explica que a aplicação direta nos fios pode ser feita com eles secos, mas precisa deixar agindo por pelo menos 4 horas. ” Isso vai garantir que a absorção aconteça de maneira eficiente”, conta. 

Já sabemos que óleo e água não se misturam. Portanto, na hora de retirar o produto do cabelo, é recomendado (e necessário) que aplique e deixe agir por 10 minutos um creme ou uma máscara antes do enxágue. “Esse processo vai favorecer a remoção do óleo. Depois disso, basta repetir a aplicação do shampoo deslizando delicadamente pela fibra do cabelo e finalizar como de costume.”

Nessa forma de aplicação, os lipídeos benéficos do óleo de coco alcançam a região do córtex dos fios, que é a camada mais profunda e mais importante para a saúde do cabelo. “Isso ajudará a repor os componentes essenciais que estavam faltando e também a proteger os fios da perda de massa e do afinamento dos fios.”

Também conhecido como pré-poo, o pré-xampu é uma segunda opção de uso no dia a dia. Basta aplicar uma pequena quantidade do óleo do comprimento até as pontas antes de iniciar a lavagem do cabelo. “Essa pequena porção protege o cabelo da ativação de cargas elétricas negativas que os shampoos trazem na superfície dos fios”, explica Jaqueline. O que, em linhas gerais, ajuda a prevenir o efeito elétrico e o frizz. 

Continua após a publicidade

Já na finalização, como o nome indica, os benefícios incluem a facilidade para pentear os fios, principalmente em cabelos cacheados e afro, que respondem muito bem ao produto. “Auxilia na definição dos cachos e melhora a aparência do cabelo.”

Guia do óleo de coco: como usá-lo na massagem
microgen/Getty Images

Na pele

O óleo de coco virou ingrediente queridinho das fórmulas de cremes dos mais diversos tipos. E, claro, como Jaqueline já adiantou, ele faz superbem para a pele. Mas, caso queira usar o produto in natura, também pode. “Ele é um cosmético consagrado no mercado sendo componente presente em várias formulações para tratar a pele por seus benefícios extraordinários. Na versão pura, é possível potencializar tudo isso.” A dica é usá-lo como um óleo massageador para compor os seus rituais diários. Pingue algumas gotas do seu óleo essencial preferido e garanta também um cheirinho gostoso na massagem corporal.

Na vulva

Sim, queridas, o óleo de coco pode ser usado como alternativa para os lubrificantes disponíveis por aí. Apesar de hoje já existirem marcas que garantem produtos de alta qualidade com ingredientes veganos, não é todo mundo que pode arcar $$$ com esses custos. “A mucosa genital é sensível à ação de componentes presentes em sabonetes em geral, água da piscina e até mesmo corantes utilizados nos tecidos usados na confecção de roupas íntimas. Além de favorecer a irritação, algumas substâncias utilizadas na higienização da área podem remover parte do manto hidrolipídico corporal que funciona como uma barreira protetora da nossa pele contra agressões externas. O óleo de coco extravirgem vem como um repositor natural da proteção desta região”, explica a especialista. 

Os lipídeos da composição têm propriedades nutritivas e suavizantes, que melhoram a qualidade tecidual e favorecem o equilíbrio da microbiota local, uma vez que são anti-inflamatórias e citoprotetoras. “Além disso, ao ser usado como lubrificante natural, melhora a sensibilidade local favorecendo orgasmos mais intensos, já que otimiza o deslizamento e a utilização melhora a vascularização local.” Apesar de tantos benefícios, é preciso um cuidado com o uso. Por exemplo, misturar o óleo de coco com preservativos de látex, “pois o óleo pode alterar a permeabilidade dele”. “O ideal é optar por preservativos resistentes à ação de óleos vegetais.”

Teste também a aplicação de uma pequena quantidade na região da vulva após o banho. Com os aditivos naturais do produto in natura (e sempre 100% natural, extravirgem), você pode obter resultados que vão desde a melhora na hidratação da pele até a proteção do tecido desta parte do corpo.

Continua após a publicidade

Publicidade