Giovanna Antonelli: Meditar dá equilíbrio para viver nesse mundo acelerado

Apesar da agenda apertada, a atriz não pensa em parar e tem planos para além dos 70 anos

Em frente à câmera, Giovanna Antonelli sabe exatamente o que fazer. Posa no ângulo em que o rosto fica melhor, entende qual sorriso a valoriza, mexe braços e pernas com proeza. Ainda dá pitaco na luz do fotógrafo, no cenário e na roupa. Fala para o cabeleireiro: “A gente podia fazer aquele cacho mais aberto, meio ondulado”. Não que seja uma ordem, ela não é fechada a propostas. Escuta a opinião dos outros, mas é certeira ao afirmar do que gosta e o que prefere. Com essa firmeza – mas em tom doce –, rege a agenda concorrida dos vários produtos licenciados que mantém, a casa cheia e uma carreira de cerca de 30 anos de sucesso na televisão e no cinema. Quem a vê não imagina a enorme carga de demandas. Afinal, a carioca de 42 anos tem jeito de moleca. Para o encontro com a equipe de CLAUDIA, chegou de jardineira jeans e mochila nas costas. Fez tudo parecer divertido, até mesmo a chuva forte que causara atrasos consideráveis. E confessou sem culpa, com um sorriso de canto de boca: “Na verdade, eu cheguei depois porque fui malhar. Fazia sete dias que não pisava na academia por causa da garganta ruim e dos antibióticos. Não aguentava mais”. Tamanha dedicação aparece no corpo esguio e nos braços bem definidos, que estavam bronzeados após dias em Salvador gravando as últimas cenas de Segundo Sol, novela das 9 da TV Globo que acabou no mês passado.

Vestido, Animale; brincos, Rommanel; anel, Be My Jewel

Vestido, Animale; brincos, Rommanel; anel, Be My Jewel (Jorge Bispo/CLAUDIA)

“Isso foi trabalhando, acredita? Nem fui à praia”, diz apontando para os ombros vermelhos. Ela havia voltado ao Rio na noite anterior. No cronograma do dia, além da academia e das fotos, tinha uma reunião na Globo. No dia seguinte, embarcaria para Los Angeles para um compromisso profissional; depois emendaria férias em Nova York. Se você se cansou só de ler, precisa saber que para Giovanna é rotina normal. “Eu sou acelerada mesmo. Trabalho, crio, me relaciono nessa frequência”, justifica. E, mesmo com esse pique todo, ainda sabe da importância de definir prioridades e se dedicar totalmente a uma coisa. “Faço muito planejamento, o que me garante cumprir combinados no prazo. Como são diversos compromissos, principalmente quando estou no ar, me organizo de antemão.”

Durante as gravações, não há horário para sair do estúdio, mas Giovanna tem um plano B que lhe exige atenção: uma linha de produtos licenciados e negócios como a Giolaser, rede de depilação a laser que funciona como franquia. A semente dessa carreira empreendedora vem de muitos anos atrás, quando perguntas sobre roupas e acessórios de suas personagens começaram a atravancar os canais de comunicação com o consumidor da Globo. Sem contar, é claro, as fãs copiando os cortes e a cor do cabelo, a maquiagem e os esmaltes. “Saquei a possibilidade de fazer disso negócio na época da Capitu (de Laços de Família, em 2000). Estamos falando de 20 anos atrás, mas fui tateando até encontrar o caminho para transformar em realidade”, ressalta a estrela. Só para citar alguns exemplos: em 2001, foram as pulseiras com anel da Jade, protagonista de O Clone, que ocupavam várias lojas de comércio popular e camelôs. Depois, em 2004, a vilã Bárbara, de Da Cor do Pecado, caiu no gosto do público com as madeixas curtinhas e modernas. E, enfim, as roupas estampadas de animal print e as calças pantalonas da delegada Helô, em Salve Jorge, de 2012. Além do look, Helô usava um esmalte marrom que virou o mais pedido nos salões. Após anos acompanhando essa crescente influência em moda e beleza, veio o clique e a parceria com a Hits! Speciallità para criar uma coleção de esmaltes com seu nome, prometendo os tons que estariam em alta. Daí Giovanna não parou mais. Desenvolveu bolsas, sapatos, óculos em parceria com marcas. Recentemente, elaborou com a fast-fashion carioca Leader uma coleção de roupas.

Leia mais: Sabrina Sato mostra rostinho da filha pela primeira vez

Ela acredita que a veia empreendedora é quase genética, aprendeu em casa. Seu pai e sua mãe eram artistas que administravam a própria carreira. Hilton Prado foi cantor de musicais. Suelly Antonelli era bailarina de programas de televisão. “Eles me ensinaram a ver possibilidade diante de várias situações. Com o tempo, trabalhei com figuras inspiradoras cujas lições me ajudaram a chegar aonde estou”, completa Giovanna.

Apesar do grande número de licenciados, ela submete todas as ofertas a rigorosa seleção. Precisa, primeiro, se identificar com o produto. Depois, pede espaço para encontrar a equipe e propõe um processo colaborativo de criação. “Tudo na minha vida vira inspiração, estou sempre buscando referências, mas gosto da troca, de ver o que o outro tem a acrescentar”, diz. A técnica tem funcionado. Afinal, a procura por óculos, bolsa ou vestido é altíssima. O esmalte azul criado na época de Em Família (2014), usado pela personagem Clara, até esgotou. “A venda foi tão absurda que acabamos com o pigmento azul da China, de onde comprávamos a matéria-prima”, lembra. Sua linha de perfumes, com os aromas 411, 611 e 811, está à venda em 16 países, como Rússia e Estados Unidos, e deve chegar ao Brasil no próximo ano.

Vestido, Le Lis Blanc

Vestido, Le Lis Blanc (Jorge Bispo/CLAUDIA)

Estrutura fundamental

Para se dedicar com tanta intensidade aos projetos, Giovanna conta com uma rede de profissionais que a auxiliam. Além do agente e da assessora de imprensa, tem ainda motorista e cozinheira. Foi o jeito que arrumou para trabalhar tranquila, sabendo que Pietro, 13 anos, seu filho da relação com Murilo Benício, Antônio e Sofia, 7 anos, do casamento com Leonardo Nogueira, estão bem assistidos. É essa mesma estrutura que permite a ela e ao marido algumas fugas românticas. “Administramos bem essa matemática. É a nossa maneira de manter um relacionamento que nos preenche com amor, cumplicidade e amizade”, conta. Isso inclui filmes no sofá e viagens rápidas ocasionais.

Entretanto, controladora assumida, Giovanna gosta de estar sempre a par do que está acontecendo. No dia das fotos, enviou áudios com direcionamentos e perguntas. “Procuro me cuidar para não virar um fardo, mas também entendo que essa característica me mantém ativa, permite que eu recarregue minhas baterias e nutra minha criatividade”, diz. “Só que, com o tempo e também a falta dele, aprendi que o domínio total é uma ilusão e descobri como relaxar.”

Leia mais: A história do menino jogado no forno pelo pai bêbado

A estabilidade na rotina é valorizada. E a vontade de mantê-la a impede de ter mais filhos. “Amo a ideia da casa cheia de crianças. Parece um cenário delicioso, mas exigiria muitas mudanças”, afirma. Ela já tem as mãos cheias ensinando a um adolescente e duas crianças sobre valores e respeito ao próximo e justiça. “Tudo sem desconsiderar as individualidades de cada um deles e acompanhando os cérebros cada vez mais rápidos dessa geração”, diverte-se. Apesar de tentar fugir das culpas comuns à maternidade e de modelos pré-impostos, admite que está sempre tentando melhorar como mãe. “Ter mais tempo, paciência e disponibilidade.” No ano passado, ela deu um jeitinho na correria para se dedicar completamente à família. Fez as malas e passou férias prolongadas de seis meses em Portugal, passeando e respirando outros ares. “Precisava esvaziar a mente, abrir espaço para o novo. Encontramos essa brecha na agenda de todo mundo e valeu muito a pena, mas não temos planos de morar fora de vez. Tudo que temos, amigos, parentes está aqui”, conclui.

Nova fase

Quem acompanha a carreira e a vida de Giovanna pelas redes sociais (seu Instagram, @giovannantonelli, conta com impressionantes 9,8 milhões de seguidores) nota mudanças no estilo de vida da atriz e empresária nos últimos anos. Ela parece mais serena, empoderada, plena… Afirma, porém, que não tem nada a ver com ter entrado nos 40 anos, que é mais do que uma alteração pontual. “É um processo que venho sentindo. Tem a ver com a maturidade. A vida vai ajudando, ou melhor, obrigando a procurar uma nova modelagem”, explica. Ela cita como fatores decisivos a maternidade, experiências de trabalho e dos relacionamentos com parceiros e amigos. “Entendi meu ritmo produtivo, a importância de cuidar do meu corpo, de manter como prioridade o tempo em casa e com as pessoas que me são queridas”, descreve.

Adquiriu novos hábitos alimentares e entendeu a necessidade dos exercícios constantes. Aprendeu a diminuir a voltagem pilhada que lhe é tão característica. Há dois anos também passou a se dedicar à meditação transcendental e enxergou os benefícios. “A prática me dá equilíbrio para viver neste mundo acelerado.” Segundo ela, depois de desenvolvidas, as técnicas são fáceis de reproduzir no dia a dia. “Sou aberta a coisas novas que contribuem para minha qualidade de vida e bem-estar”, afirma. A artista também gosta de se desafiar. Tenta fazer todos os dias algo que lhe dá medo. É um jeito de não deixar esse sentimento ocupar nenhum espaço sobre sua vida, já que é extremamente prejudicial para quem sonha tão alto como Giovanna. “Sempre fui um trator; evito até olhar para o lado porque gosto de manter os olhos na meta.”

Leia mais: Como a Lua cheia do dia 22 de dezembro irá afetar o seu signo

Vestido, Adriana Degreas; brincos, Rommanel; piercing e estrela, DFK Joias; anel, Be My Jewel

Vestido, Adriana Degreas; brincos, Rommanel; piercing e estrela, DFK Joias; anel, Be My Jewel (Jorge Bispo/CLAUDIA)

Ela é totalmente ciente da grandeza de seus projetos e também da garra necessária para realizá-los. “Nunca fui de ficar sentada esperando acontecer, não tenho medo de colocar a mão na massa. Ao mesmo tempo, o Universo me trouxe oportunidades e sou grata por tudo.” Este ano, quando for pular as sete ondas na virada, pretende apenas agradecer pela saúde e força para continuar. Ao país, deseja justiça. “Com isso, quero dizer que gostaria que todos tivessem acesso a cultura e educação, segurança para ir e vir e a certeza de que adoecer não significa morrer em uma fila de hospital. É importante que as minorias deixem de ser alvo de violência gratuita e que as pessoas tenham não só dignidade, mas paz”, afirma. Em um ano tão polarizado como o que vivemos, com as eleições provocando brigas em famílias e acirrados debates públicos, a estrela preferiu ficar de fora. Não se pronunciou. “Faço o que tenho vontade, acho que isso é bem democrático”, justifica. Se foi cobrada a se posicionar, não ligou. Há tempos aprendeu a lidar com críticas. “Elas e os elogios possuem o mesmo lugar na minha vida. Acredito que opinião deve ser respeitada, principalmente quando há discordância. Se o ataque é gratuito, então, ligo menos ainda.”

Ela diz que está de férias, mas só deixou de gravar. Os outros projetos estão a mil. Aproveitará a pausa para mudar o visual. “Quero deixar o cabelo crescer, mudar a cor”, disse, olhando para o maquiador que a acompanha em vários trabalhos. “É uma despedida desse papel que passou, é zerar para começar outra etapa, outro desafio”, explica ela. Na nova fase, Giovanna pretende conversar com mais pessoas, atingir um público maior. Ainda não sabe como fará, mas está refletindo – e, com certeza, encontrará uma solução inspiradora. A cabeça estrategista não para por um segundo; brotam as ideias. São muitas, mais do que daria conta. Tem planos até para depois dos 70 anos. “Não consigo me imaginar tão à frente, mas sei que estarei na ativa, desenvolvendo produtos para a mulherada da terceira idade”, conclui a atriz, com todo o seu bom humor. Apesar de parecer que é graça, não dá para duvidar de Giovanna. Não será surpreendente vê-la aos 70 expondo na televisão esmaltes da moda, bolsas elegantes e, claro, seu jeito de moleca.

 

Edição de moda: Fabio Ishimoto|Styling: Cuca Ellias (OD MGT)|Produção de moda: Jaqueline Cimadon|Assistentes de produção de moda: Giovana Soliver e Marina Araújo|Beleza: Lavoisier|Assistente de fotografia: Barbara Guinle|Tratamento de imagens: Doctor Raw.

Veja mais: Lula será solto, beneficiado por decisão de Marco Aurélio Mello, do STF

Siga CLAUDIA no Instagram