CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Being the Ricardos: 3 motivos para assistir ao filme de Aaron Sorkin

Nicole Kidman e Javier Bardem protagonizam drama de época da Amazon

Por Paula Jacob Atualizado em 21 mar 2022, 13h56 - Publicado em 22 mar 2022, 08h51

A gente gosta mesmo (às vezes, talvez, quase sempre) de ver uma boa briga-barraco-caos-de-backstage. Se você assistiu Feud: Bette and Joan, corre para o Amazon Prime Video e dê o play no drama de época Being the Ricardos – e se não viu a série sobre Bette Davis e Joan Crawford em Whatever happened baby Jane?, tem no Star Plus. Escrito e dirigido por Aaron Sorkin, o filme acompanha o “por trás das câmeras” de I Love Lucy, uma das maiores sitcoms norte-americanas antes do termo hypar de Seinfeld a Friends. A seguir, listamos alguns ótimos motivos para você aproveitar a pipoca no sofá de casa:

Atuação

Being the Ricardos: 3 motivos para assistir ao filme de Aaron Sorkin
Amazon/Divulgação

A série I Love Lucy falava sobre as confusões do dia a dia de uma mulher americana casada com um cubano, vivendo em Nova York. Nos papéis de Lucille Ball e Desi Arnaz, Nicole Kidman e Javier Bardem – ambos concorrem ao Oscar 2022 na categoria de atuação – fazem um duo extraordinário nessa dinâmica apaixonada-porém-polêmica de casal que vive a vida perfeita na TV, mas se deteriora nos corredores da CBS. É comum na carreira da atriz protagonista viver dramas de época, mas, aqui, a caracterização quase assusta. Ela consegue colocar nuances melancólicas de Lucille mesmo quando faz comédia. Do lado de Javier, sua presença enquanto contraponto romântico-porém-machista é exercida com bastante fidelidade.

Continua após a publicidade

 

Temática

Mais que uma história de amor conturbada, Being the Ricardos também enquadra as dificuldades de ser uma mulher talentosa num contexto dominado por homens – se hoje é difícil, imagina em 1957. Questionada e tida como histérica, Lucille Ball precisou se provar episódio atrás de episódio como uma atriz de qualidade, não só: uma diretora e roteirista não creditada. Além disso, seu brilho inquestionável, que a colocou no hall da fama (ou quase, por um triz), foi ofuscado por um relacionamento invejoso, competitivo e, óbvio, patriarcal. Dos dilemas e das complexidades da vida, ela também queria manter a família e o casamento em pé, fazendo de tudo um pouco para não deixar o marido estressado. 

Direção de arte e figurino

Being the Ricardos: 3 motivos para assistir ao filme de Aaron Sorkin
Amazon/Divulgação

Um bom filme de época sempre vem acompanhado de uma boa construção visual. Aqui, isso é feito com maestria. Repare, por exemplo, nas vestimentas de Lucille Ball (Nicole Kidman) no decorrer da narrativa: nas cenas de flashback, ela tem looks bastante diferentes dos usados pela personagem de I Love Lucy, com recortes, fendas e pele à mostra. À medida que ela se envolve por completo com a sitcom que protagoniza, seu guarda-roupa quase mimetiza com o da personagem da TV, indicando algumas perdas e concessões que ela precisou fazer na vida pessoal para tudo aquilo dar certo. O mesmo acontece com os cenários, que fazem uma brincadeira muito legal com o ficção x realidade: ora parece a série, ora a vida real, ora um misto de tudo.

Continua após a publicidade

Publicidade