Clique e assine com até 75% de desconto

Friends é uma cópia da série Living Single? O debate sobre racismo na TV

Composta apenas por atores negros, Living Single foi lançada em 1993, um ano antes de Friends. A semelhança das duas séries é gritante

Por Da Redação Atualizado em 19 nov 2020, 18h35 - Publicado em 19 nov 2020, 17h30

Quem não conhece a história dos seis amigos morando juntos em Nova York, que atire a primeira pedra. A série Friends, lançada em 1994, virou uma febre mundial e carrega uma legião de fãs até os dias atuais.

No entanto, Friends não foi a primeira série com essa premissa. Um ano antes, em 1993, Living Single foi ao ar e contava a história de seis amigos que moravam juntos em Nova York e falavam sobre seus problemas amorosos, de trabalho e familiares.

Essa narrativa se repete em Friends, sendo Rachel Green a “patricinha”, Joey Tribbiani, o mulherengo e distraído, Chandler Bing, o trabalhador sarcástico,  Monica Geller, a mais responsável do grupo (considerada a “mãe”) e muito competitiva, Ross Geller, o inteligente, e e Phoebe Buffay, a ingênua.

Em Living Single, Khadijah James tem as características de Monica; Regine Hunter, as de Rachel; Synclaire James é bem parecida com a Phoebe; Overton Wakefield Jones com Joey; Kyle Barker com Chandler e Maxine Shaw (cuja maior diferença é o sexo, já que ela é uma mulher) tem grande semelhança com Ross.

E não se trata apenas da personalidade dos personagens, mas as situações em que cada um vive se repetem e são muito semelhantes em ambas as tramas. As duas séries se passam em Nova York, num prédio.

O vice-presidente da NBC, Warren Littlefield revelou em uma entrevista qual produção ele gostaria de ter em sua emissora, pouco antes de Friends ir ao ar pela emissora: “Living Single, da FOX”. Esse é um ponto levantado por Queen Latifah, que interpretou Khadijah James.

Ela falou a respeito do assunto em uma entrevista James Corden, em 2017. “Quando Friends foi ao ar, vocês pensaram ‘espere um pouco, nós já estamos fazendo isso?'”, perguntou Corden. A resposta da atriz foi cirúrgica, e sem hesitar: “Não [nós não pensamos], nós sabíamos que já estávamos fazendo isso”.

Representatividade

Mas Living Single não se limitava em ter só protagonistas negros, a série abordava temas sobre a comunidade afro-americana e também sobre feminismo. Em contrapartida, em Friends, além do elenco ser composto por atores brancos, havia falas machistas que rendem discussões até hoje.

De acordo com Saul Austerliz, roteirista de Friends, a flagrante falta de representatividade racial começou a preocupar os executivos da NBC em dado momento. Eles temiam a falta de identificação de pessoas não-brancas.

Esse pensamento foi confirmado por uma pesquisa publicada em 1998 pelo New York Times, em um texto da Nielsen Media Research. A pesquisa analisava a audiência de séries de televisão, de acordo com famílias negras e brancas. Nos dois meses referentes ao estudo, Friends foi a série mais vista por famílias brancas, e entre as negras, ficou em 91º lugar.

Continua após a publicidade

Mas essa pesquisa não foi o suficiente para que a série fosse repensada. Friends ficou no ar por longos 10 anos, sem ser muito questionada sobre a falta de personagens negros, pelo menos naquela época.

Uma outra discussão intensa se acendeu em fevereiro deste ano, depois que David Schwimmer (o Ross), em entrevista ao jornal The Guardian, esqueceu de mencionar Living Single quando disse que Friends foi uma série revolucionária por, nas palavras do ator, “quebrar barreiras em seu tempo por falar sobre sexo casual, casamento gay, sexo com proteção e relacionamentos. Você tem de olhar pelo ponto de vista do que a série tentava fazer em seu tempo”, disse.

A polêmica correu rápido e chegou em Erika Alexander, uma das atrizes de Living Single. “Ei, David Schwimmer você tá falando sério mesmo que nunca ouviu falar sobre Living Single? Nós inventamos esse perfil. De nada, irmão”, escreveu ela, em sua conta no Twitter. 

Logo em seguida, em resposta à Erika, David pediu desculpas pelo ocorrido e se explicou. “Eu era fã de Living Single e não quis dizer que Friends foi o primeiro de seu tipo. Pelo que sei, Friends, que veio um ano depois, foi inspirado na vida de seus criadores. Se ele foi inspirado em Living Single, só eles poderiam dizer. Mas me parece bem plausível que Friends tenha ganhado luz verde encorajado pelo sucesso de Living Single. Se for o caso, temos um débito enorme com vocês, por pavimentarem o caminho”. 

Mas esse assunto já repercutia anos antes entre os afro-americanos, levando Jay-Z a recriar a abertura de Friends, no clipe da música Moonlight, de 2017, com personagens negros, criticando explicitamente o processo de apropriação e negação da cultura negra no universo do audiovisual e entretenimento.

 

Veja também

Primeiras imagens de Javicia Leslie como Batwoman são divulgadas

Representatividade nas telenovelas: afinal, quem se vê por aqui?

Animação “Hora do Blec” traz representatividade para a primeira infância

Todas as mulheres podem (e devem) assumir uma postura antirracista

Continua após a publicidade
Publicidade