CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Quer pintar o cabelo? Os especialistas recomendam esses 3 tons no inverno

A estação mudou e trouxe novas tendências para os fios. Experts explicam como alcançar as cores e os cuidados para mantê-las

Por Anna Paula Chagas Atualizado em 15 jul 2021, 20h35 - Publicado em 19 jul 2021, 10h00
mulheres olhando para a câmera
Do topo para baixo, Martha Pinel; Sheron Menezzes; Wanessa Camargo modelo, Luis Crispino; as demais,/Divulgação

Os claros

Depois de muitos anos de reinado, o superloiro sai de cena. Ele abre espaço para tons quentes e uniformes, sem mechas marcadas nem contornos ao redor do rosto. “São cores mais naturais, como o mel, o dourado, o alaranjado e o cobre, todos com menos intensidade na vibração do tom. Vão ser muito pedidas as tonalidades de tangerina seca e pêssego, que já vemos no cabelo de muitas famosas”, explica Amadeu Marins, colorista do Rio de Janeiro.

Ele observou essas tendências e também as de cabelo em tons pastel em outras cidades além das brasileiras, como Paris, Berlim e Nova York. Segundo Amadeu, é o chamado glow hair, resultado da busca pelo que é genuíno e reflete nossa verdadeira personalidade. A textura também pede um novo olhar, com o natural ganhando mais terreno sobre a escova. É provável que você deixe de lado as ferramentas de estilização e aprenda a finalizar seu cabelo respeitando os movimentos dele.

Veja também: “Shaggy Hair” – o corte queridinho de Bruna Marquezine e outras famosas veio direto dos anos 1970 e está com tudo! 

mulheres olhando para a câmera
Do topo para baixo, Juliana Paes; Gio Ewbank; Monizza Snege modelo, Luis Crispino; as demais,/Divulgação
Continua após a publicidade

O degradê

Delicada e com discreto brilho, essa tendência é para quem gosta de dar ainda mais ênfase ao movimento dos fios. A combinação mais pedida pelas famosas é nos tons de castanho, com um toque iluminado mais para as pontas ou o caramelo perto da raiz, terminando em dourado quente, e o natural, puxando para o canela.

Segundo o beauty artist Wilson Eliodório, é importante, além da referência, levar em conta outros fatores, como o tom da pele e o formato do rosto de cada pessoa para optar pelo tom do degradê. “Também é fundamental ter cuidados antes de iniciar a coloração. Recomendo fazer uma pré-coloração, processo que vai criar uma camada de proteção para os fios. Depois do procedimento, faço uma máscara com reposição de proteína. Ela vai garantir brilho, movimento e a saúde do cabelo”, explica ele, que tem salão em São Paulo.

mulheres olhando para a câmera
Do topo para baixo, Juliana Paiva; Taís Araújo; Nathalie Billio modelo, Luis Crispino; as demais,/Divulgação

Os neutros

Para Wilson, a tendência máxima do último ano, do cabelo natural, fácil e leve, continua bastante em alta. Isso não quer dizer que os reflexos estão totalmente eliminados, mas eles são discretos, nada marcados. “São luzes feitas de forma gradual e muito delicada. Elas dão um ar de renovação, mas têm uma técnica diferenciada.

Não há excessos ou cores opostas”, explica o beauty artist. Nas celebridades, os tons mais vistos são o marrom escuro – note as pontas levemente mais claras de Taís Araújo (acima) – e variantes do laranja ao cereja. “Quem é naturalmente morena pode partir dessa base e fazer alterações suaves, sem precisar colorir todo o comprimento”, acrescenta Amadeu. A proposta chega a ter um toque vintage, priorizando a elegância e discrição e colocando o cabelo castanho de volta no pódio dos tons mais queridos.

Continua após a publicidade

Publicidade