Mulher quase perde a visão por mau uso de lentes de contato

Ela precisou ser submetida a um transplante de córnea para cuidar das sequelas deixadas pela infecção

Uma infecção quase custou a visão completa do olho esquerdo de uma mulher na Inglaterra, segundo noticiou o New England Journal of Medicine. De acordo com os médicos autores da publicação, após nadar e tomar banho sem tirar as lentes de contato, a paciente, cujo nome não foi revelado, passou a se queixar de dores e visão embaçada.

VEJA os assuntos que mais estão bombando nas redes sociais

A prática de utilizar lentes em ambientes úmidos não é recomendada pelos especialistas, por aumentar o risco de contaminação pelo protozoário Acanthamoeba polyphaga. Presente em locais como água doce, mar, piscina, jacuzzis e hidromassagens, ele é responsável por cerca de 6% das ceratites (inflamações da córnea) tratadas em hospitais universitários brasileiros e pode levar à perda da visão.

Também causada por bactérias, as ceratites são, em geral, tratadas com antibióticos por meses. Além do risco de reincidência, a doença pode avançar para um estágio agressivo, no qual é necessário fazer transplante de córnea.

Córnea com ceratite

 (New England Journal of Medicine/Reprodução)

Como evitar

Para evitar o problema, é preciso fazer a higienização correta das lentes de contato e jamais utilizá-las por mais tempo que o indicado ou com a validade expirada. Caso seja necessário usar a lente em um ambiente aquático, optar pelas descartáveis. E, assim que notar algo de errado, procurar um oftalmologista.

No caso da paciente inglesa, o tratamento curou a infecção, mas a visão ficou prejudicada por uma combinação de catarata e cicatriz densa na córnea. Ela então foi submetida ao transplante, o que resultou em uma acuidade visual de 20/80 (baixa visão moderada) e o fim dos desconfortos no olho esquerdo.

Leia também: Criança contrai grave condição após sinusite e mãe faz alerta

+ Erro médico faz mulher retirar os seios mesmo sem ter câncer

Síndrome de burnout – Izabella Camargo conta a sua história no podcast Senta Lá, CLAUDIA