CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

7 dicas para não perder o ritmo de exercícios no inverno

Alteração no treino e exercícios dentro de casa podem ajudar a manter a constância, de acordo com personal trainer Cau Saad

Por Ana Luiza Cardoso Atualizado em 21 jun 2022, 13h45 - Publicado em 21 jun 2022, 09h36

Se em qualquer outra estação do ano é difícil começar uma atividade física, imagina no inverno? Com temperaturas despencando, o desejo reinante é manter-se acolhido sob os cobertores por mais tempo e deixar a corridinha no parque para outra hora, ou mês. 

Porém, segundo a personal trainer Cau Saad, do Instituto Cau Saad, vale sempre lembrar que recomeços são mais difíceis e, se tratando de exercícios, é importante manter uma constância. 

exercícios no inverno
Escolher os horários mais quentes do dia é uma das estratégias para malhar no frio. nappy/Pexels

Abaixo, a expert cita 7 dicas para estimular a rotina de atividades físicas e exercícios e até boas técnicas para quem quer começar a se exercitar. 

  • Mudanças

Uma forma de manter-se ativo na ginástica é conhecer novas abordagens que podem otimizar o seu tempo. No caso, Cau indica o treino HIIT (High Intensity Interval Training) como opção. “Apostar em treinos intervalados de alta performance, com volume menor e intensidade maior, é uma boa estratégia de otimização”, disse. 

  • Horário

Essa dica não funciona para qualquer um, é preciso ter uma rotina mais flexível, mas, se possível, tente trocar o horário em que você treina para momentos mais “quentinhos”. Logo no início da manhã e no fim do dia, com baixas temperaturas, talvez não sejam os melhores momentos quando queremos evitar o frio. “Se a pessoa estiver de férias, pode colocar isso, mas se tiver no ritmo de trabalho, terá que se adequar, encarar o frio mesmo”, pontua Cau. 

  • Em casa

 

Continua após a publicidade

Para quem não quer saber de colocar o pé na rua e se exercitar, a dica é fazer exercícios dentro de casa. “Hoje tem professores que dão lives, têm aplicativos, a gente precisa somente de um espaço na sala, e usar o próprio peso do corpo”, disse. “Eu dou uma aula que é só com o peso do corpo e tem ganhos consideráveis se tratando se resistência, condicionamento físico e perda de gordura”. 

  • O mínimo

E se você quiser começar a se exercitar? O mínimo, recomenda Cau, é uma frequência de três vezes por semana, sendo dois dias de exercício físico, planejado por um profissional, com treino progressivo, e um dia de atividade física, como passear no parque, andar com o cachorro, subir e descer escada no prédio, por exemplo.                    “São coisas que parecem bestas, mas fazem toda diferença”, disse. “Com pressão, aumenta ansiedade e a angústia de não estar conseguindo”. 

  • Não desista 

Não seja duro com você. “Se não levantou porque está indisposto, tudo bem, levante e faça no dia seguinte, mas não deixa de fazer”, disse Cau. Ela também recomenda traçar metas, pois essas funcionam como estimulantes.

  • De volta à estaca zero

E quando perceber que está cabulando aulas com frequência, lembre-se que recomeçar é mais difícil. “Quem já estava vindo de um programa constante de atividade física, se parar agora, volta para a estaca zero”, disse Cau. “Embora o corpo tenha memória, a constância é muito importante, então não desista, não abre a mão, não deixa a corda lacear”. 

  • Alimentos quentinhos 

A personal ressalta que, durante o inverno, o corpo queima mais calorias para se manter na temperatura entre 36º C e 36,5º C. “O nosso organismo precisa estar sempre trabalhando para chegar em 36º C”, disse. “Só que a gente come tanto para suprir a necessidade e o aconchego da comida, que a acaba não tendo essa noção”. 

Ela recomenda, portanto, junto com atividades físicas, uma alimentação bem nutritiva, com caldos, por exemplo, que promovem um aconchego. Assim como consumo de frutas assadas, como banana e canela, além do consumo de chás.

Continua após a publicidade

Publicidade