CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Após 50 dias de luta contra Covid, Paulo Gustavo morre aos 42 anos

Ator estava internado desde o dia 13 março no Rio de Janeiro

Por Da Redação Atualizado em 4 Maio 2021, 22h14 - Publicado em 4 Maio 2021, 22h09

Morreu hoje, no Rio de Janeiro, aos 42 anos, o ator e humorista Paulo Gustavo. Ele estava internado com Covid-19 desde o dia 13 março. Paulo era casado com o dermatologista Thales Bretas e deixa dois filhos, os gêmeos Romeu e Gael.

O último boletim, divulgado há minutos, diz: “Às 21:12h desta terça-feira, 04/05, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo faleceu, vítima da COVID-19 e suas complicações.

Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento.

A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos”

Histórico

Paulo chegou a apresentar uma melhora no seu quadro durante a internação e, no domingo (2), chegou a ter redução de sedativos e bloqueadores e interagir com médicos e o marido. Mas, no segunda-feira, 3 de maio, a equipe médica indicou que a terapia intensiva apresentava sinais de gravidade. A equipe médica detectou uma fístula broncovenosa – uma abertura entre os pulmões e as veias.

Devido a esse quadro, bolhas de ar entraram na corrente sanguínea do artista, causando uma embolia, insuficiência cardíaca e lesões cerebrais, o que trouxe à tona a possibilidade de uma nova cirurgia – de risco altíssimo – para fechar a fissura.

“À noite, subitamente, houve piora acentuada do nível de consciência e dos sinais vitais, quando novos exames demonstraram ter havido embolia gasosa disseminada, incluindo o sistema nervoso central, em decorrência de uma fístula bronquíolo-venosa. Infelizmente, a situação clínica atual é instável e de extrema gravidade”, constava em um trecho do boletim médico divulgado na última segunda.

View this post on Instagram

A post shared by paulogustavo31 (@paulogustavo31)

Continua após a publicidade

Gravidade do caso

O ator chegou a passar pelo tratamento por ECMO (Oxigenação Extracorpórea por Membrana), tipo de terapia intensiva usada em estado grave de Covid-19. A tecnologia consiste na retirada do sangue através de uma veia para uma bomba e por uma membrana artificial, que faz a função do pulmão. A técnica ajuda a eliminar o gás carbônico e a oxigenar o sangue, que então é devolvido para o organismo.

Por meio de suas redes sociais, Thales atualizou os fãs algumas vezes sobre o estado de saúde do marido e pediu orações para os amigos e fãs do ator. “O quadro clínico do meu amor, Paulo Gustavo, está difícil, mas para ele nada é impossível”, escreveu em uma postagem relembrando uma viagem do casal à Fátima, em Portugal.

View this post on Instagram

A post shared by Thales Bretas (@thalesbretas)

Continua após a publicidade

Carreira

Dona Hermínia
Dona Hermínia, interpretada por Paulo Gustavo, no cartaz de Minha Mãe É Uma Peça 3 Divulgação/Divulgação

Paulo, que era também diretor, roteirista e apresentador, ficou conhecido pelo monólogo ‘Minha Mãe É uma Peça‘, criado em 2006, e que virou um longa-metragem em 2013. No ano de estreia da peça, sua atuação lhe rendeu uma indicação ao Prêmio Shell de melhor ator. O título tornou-se o filme mais assistido do ano no Brasil, e em 2015, foi publicado como livro pela editora Objetiva. Devido ao grande sucesso, a produção ganhou uma continuação, em 2016, e um terceiro filme, em 2019. 

Com um texto divertido, atual e cheio de ironias, Dona Hermínia foi construída através de suas observações domésticas e vivenciais, que reúnem os aspectos mais cômicos da personalidade de uma típica dona de casa de meia idade, sempre à beira de um ataque de nervos. Grande parte de suas histórias e trejeitos são inspiradas em sua própria mãe, Déa Lúcia Amaral. 

Paulo Gustavo voltou a protagonizar nos palcos em 2010, para apresentar o stand-up comedyHiperativo‘, dirigido por Fernando Caruso. Em 2011, tornou-se apresentador do 220 Volts, no Multishow. Em junho de 2013 estreou na produção do seriado ‘Vai que Cola‘, no mesmo canal, que ganhou uma adaptação para o cinema em 2015.

Em 2014, estreou um novo programa, o reality ‘Paulo Gustavo na Estrada’, também do Multishow, e que acompanhava os bastidores da turnê de teatro do ator pelo Brasil. Em 2017 deixou o ‘Vai Que Cola’ e entrou no programa ‘A Vila‘ e, em 2018, gravou o DVD de ‘Minha Mãe é uma Peça‘ em Salvador.

  • Resiliência: como se fortalecer para enfrentar os seus problemas

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade