Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Damares diz que escolas devem ensinar meninos a dar flores a meninas

"Nós não vamos estar colocando a mulher em condição de fragilidade, mas nós vamos elevar a mulher para o patamar de um ser especial", afirmou a Ministra

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2020, 10h52 - Publicado em 8 mar 2019, 13h36

Damares Alves, Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, disse na manhã desta sexta (8), Dia Internacional da Mulher, que os meninos vão ter que entender que as meninas são iguais em direitos e oportunidades, “mas são diferentes por serem mulheres e precisam ser amadas e respeitadas como mulher”. 

A fala aconteceu durante um evento de lançamento de uma campanha contra a violência doméstica. Damares disse que o governo ensinará os meninos a levar flores para as meninas e a abrir a porta do carro para a mulher.

“Enquanto meninos acharem que são igual a meninas, como se pregou no passado algumas ideologias, ‘já que a menina é igual, ela aguenta apanhar’. Nós vamos dizer para meninos que meninas são iguais em oportunidades e direitos, mas diferentes fisicamente, e precisam ser amadas. Nós vamos ensinar isso a nossos meninos”, falou.

 

 

“Nós vamos ensinar nossos meninos nas escolas a levar flores para as meninas. Por que não? A abrir porta do carro para mulher, por que não? A se reverenciar para uma mulher, por que não? Nós não vamos estar colocando a mulher em condição de fragilidade, mas nós vamos elevar a mulher para o patamar de um ser especial, pleno e extraordinário. E é isso que a gente quer fazer lá na escola.”

Continua após a publicidade

A ministra disse ainda que os pastores evangélicos devem abrir a porta das igrejas para acolher mulheres vítimas de agressão. “A igreja vai ter que ser agente nessa luta. Chega de mulher chegar de olho roxo na igreja e pastor mandar voltar embora e perdoar o agressor”, afirmou.

Entre as medidas para enfrentar os casos de violência doméstica, Damares quer capacitar funcionários de salão de beleza para que eles percebam casos de agressão entre as clientes. Ela diz que a medida tem tido sucesso no Mato Grosso.

“A ideia é enfrentar a violência contra o público feminino. Profissionais da área da beleza treinados para orientar suas clientes. Todos os casos de agressões devem se denunciados. As depiladoras, por exemplo, conseguem identificar agressões pois são as que mais têm acesso ao corpo da mulher.”

Damares Alves e o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, também assinaram um acordo de cooperação técnica que estabelecerá políticas públicas de combate à violência doméstica.

Leia mais: Buscas por “feminismo” no Google cresceram 217%

Siga CLAUDIA no Youtube

Continua após a publicidade
Publicidade