Clique e assine com até 75% de desconto

EUA elege a primeira senadora trans da história do país

Sarah McBride também foi a primeira estagiária transexual da Casa Branca, no governo de Barack Obama

Por Da Redação Atualizado em 4 nov 2020, 11h25 - Publicado em 3 nov 2020, 21h05

Sarah McBride, ativista dos direitos dos transgêneros e ex-estagiária do governo Obama, foi eleita a primeira senadora trans da história dos Estados Unidos. A candidatura de McBride para o posto de senadora estadual no distrito de Delaware aconteceu nesta terça-feira (30).

A entrada na política é estratégica para Sarah, que visa transformações sociais urgentes, principalmente para a população trans. “Ao crescer, parecia que a política era onde você poderia fazer o máximo de mudanças para o maior número de pessoas e do maior número de maneiras possíveis. felizmente, é uma forma de construir um mundo onde mais pessoas possam viver de forma aberta, autêntica e livre”, afirmou à People.

McBride também foi a primeira estagiária trans a trabalhar na Casa Branca, experiência que contou para o crescimento do seu interesse pela carreira política. Para Mara Keisling, diretora executiva do National Center for Transgender Equality (Centro Nacional pela Equidade de Transgêneros), a eleição de Sarah representa a esperança de crianças não questionarem suas identidades, como aconteceu com ela e McBride. 

“Eles vêem essa Sarah McBride engraçada, inteligente e falante. Pode ser literalmente a inspiração de que uma criança precisa para continuar”, comentou. “Quando nossos corpos legislativos e nossos escritórios executivos se parecem com as pessoas que procuram representar e refletem toda a diversidade de nossas comunidades, a conversa muda”, diz McBride.

Em 2013, por meio de seu ativismo, Sarah pressionou o governo de Delaware a aprovar um projeto de lei sobre os direitos dos transgêneros. “Não estou correndo para fazer história ou fazer manchetes. Estou correndo para fazer a diferença nesta comunidade e representá-la da melhor maneira possível, trazendo toda a gama de experiências e perspectivas que tenho com uma longa história nesta comunidade”, afirmou a candidata.

“Essa é uma mensagem poderosa e uma oportunidade poderosa de dar um pouco de esperança e um pouco de conforto a um jovem aqui em Delaware ou em qualquer outro lugar deste país, de que nossa democracia é grande o suficiente para eles também”, finalizou Sarah.

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade
Publicidade