CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Identificada após 31 meses, vítima da tragédia da Vale era mãe de gêmeos

Funcionária da Vale por mais de 10 anos, em Brumadinho, Juliana é um dos 261 mortos já identificados. Nove vítimas seguem desaparecidas

Por Da Redação 26 ago 2021, 11h28

Mais uma vítima do rompimento da barragem na Mina Córrego do Feijão em Brumadinho foi identificada nesta quarta-feira (25), dia em que a tragédia completou exatos 31 meses.

O corpo, localizado na tarde da última terça-feira (24) e identificado por exames de arcada dentária, foi o da vítima Juliana Creizimar de Resende Silva, de 33 anos. Funcionária da Vale por mais de 10 anos, ela havia dado à luz gêmeos pouco tempo antes de morrer na tragédia. Na época, as crianças tinham 10 meses. 

Com o novo reconhecimento, os números foram atualizado. Já são 261 corpos recuperados, dentre eles o de Dennis Augusto Silva, marido da vítima recém-identificada, que também morreu com o rompimento da barragem. Nove pessoas ainda não foram localizadas.

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) divulgou que os trabalhos continuam mesmo após dois anos e sete meses. Como o estimado pela corporação em janeiro deste ano, é possível que as buscas levem mais quatro anos, dadas as dificuldades do terreno e a peculiaridade da operação.

Continua após a publicidade

Publicidade