Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

“Quase impossível sobreviver”, desabafa Meghan sobre ataques

Duquesa de Sussex abriu o coração durante a gravação de um podcast no último sábado (10)

Por Da Redação - Atualizado em 11 out 2020, 21h06 - Publicado em 11 out 2020, 20h45

Meghan Markle quebrou o silêncio sobre a série de ataques que sofreu depois do casamento com o Príncipe Harry, em 2018. Durante a gravação de um podcast sobre saúde mental com estudantes californianos, ela comentou como a internet pode ser uma ferramenta positiva, mas também um lugar de duras críticas e perseguições.

“Posso falar por experiência própria. Disseram que em 2019 eu fui a pessoa mais atacada na internet em todo o mundo, entre homens e mulheres. Durante oito meses, eu nem era vista, estava de licença maternidade ou com o meu bebê, mas o que tiveram a capacidade de dizer ou fabricar foi algo quase impossível de se sobreviver”, desabafou.

Para ela, ver o próprio nome envolvido em mentiras afeta qualquer um, independentemente da idade. “Não importa se você tem 15 ou 25 anos, se estão alando coisas que não são verdades sobre você, as consequências na saúde mental e no emocional são prejudiciais. Cada um tem suas experiências, mas o sentimento é universal. Todos sabemos como é nos sentirmos magoados, isolados. E é importante falarmos sobre isso para entendermos que não estamos sozinhos”, afirmou.

Meghan ainda comentou um episódio marcante do último ano, quando foi questionada se estava pelo jornalista Tom Bradby. Na ocasião, a duquesa de Sussex desabafou e disse que ninguém nunca pergunta isso a ela. No podcast, quando fizeram a mesma questão, ela explicou o que aconteceu naquele dia. “Eu não pensei, só fui honesta, porque estava num momento de vulnerabilidade, estava cansada, foi só algo como ‘aqui estou’. Sou uma mãe que está com um bebê de quatro meses e meio e estou cansada. Mas acho que a razão de ter ressoado com as pessoas é porque todos querem ser questionados se estão bem. Hoje eu diria que estou muito bem. Obrigada por perguntar”, finalizou.

 

Continua após a publicidade
Publicidade