Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Enfim, Tinder cria botão de pânico para usuários em situações de perigo

A novidade entra em vigor no final de janeiro nos Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, e França.

Por Lucas Castilho - 24 jan 2020, 13h00

O Tinder, aquele aplicativo de encontros favorito da geração millennial, já há algum tempo enfrenta críticas por não proteger de maneira mais incisiva usuários vulneráveis de assédio e abuso. Como forma de dar um passo nessa direção, de dar mais suporte às pessoas, o app anunciou a criação de um botão de pânico que poderá ser acionado caso aconteça algum problema durante os dates marcados por meio da plataforma. A novidade foi anunciada nesta quinta-feira (23)!

E, não, se você apertar por engano o tal botão, os policiais não vão invadir o seu encontro causando uma grande surpresa e confusão. Após pressionar o recurso, será necessário digitar um código para confirmação de que está mesmo precisando de ajuda. Logo depois, a pessoa recebe uma mensagem de texto e, caso ela não for respondida, pode acarretar em uma ligação. Se o usuário não atender, o Tinder pode compartilhar a localização do telefone com a polícia e solicitar que ela vá ao local verificar se está tudo ok.

Criado em parceria com o aplicativo de segurança Noonlight, o botão de segurança será lançado inicialmente no final de janeiro nos Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, e França. “Ele vai atuar como um guarda-costas discreto em situações nas quais você está sozinho ou encontrando alguém pela primeira vez”, disse Brittany LeComte, cofundadora da Noonlight, em comunicado.

É importante lembrar que, para ele funcionar, será necessário que o usuário dê permissão ao Tinder rastrear a localização dele em tempo real. Recentemente, o Tinder se viu envolvido em uma polêmica de que estaria coletando os dados dos usuários para fins publicitários e até mesmo venda. Segundo o Match Group, que controla o app de relacionamentos, isso não vai acontecer.

Continua após a publicidade
Publicidade