Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Rachel Jordan

Referência no mercado de consultoria de imagem, Rachel Jordan é especialista em comportamento profissional e atua como consultora, mentora e palestrante para empresas e pessoas que desejam desenvolver suas habilidades emocionais e alavancar a carreira. Co-autora do Livro À Sua Moda – 4Talks, Rachel também ministra cursos e workshops na área
Continua após publicidade

Peças que migraram do ambiente masculino para o feminino

Estes itens, antes exclusivos do guarda-roupa masculino, permanecem em alta na moda

Por Rachel Jordan Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 20 abr 2023, 15h03 - Publicado em 20 abr 2023, 10h11

Ao longo de muitos anos, principalmente na última década, pudemos acompanhar mudanças bastante relevantes na moda. Quem acompanha esse universo, percebe o quanto o mundo fashion tem estado atento às transformações sociais, culturais e econômicas pelas quais o mundo vem passando. Afinal, a moda nada mais é um do que um espelho da sociedade em que vivemos.

Como uma profissional que atua nesse segmento, observo que a moda nunca esteve tão democrática como no atual momento. As discussões de gênero estão abrindo novos horizontes e colocando a moda em outro patamar. Os rótulos que sempre delimitaram os seus caminhos estão dando mais destaque à autenticidade e à liberdade de escolha de cada mulher e de cada homem.  

Hoje, e cada vez mais, vestimos aquilo que gostamos e que tem a ver com o nosso estilo sem estarmos presas aos padrões sociais. A nossa essência é o que predomina, um reflexo disso é o crescimento da moda agênero, com modelagens diferenciadas que atendem a mulheres e homens. 

No entanto, um passeio pelo tempo nos mostra que nem sempre foi assim. Uma prova disso eram as limitações impostas ao guarda-roupa feminino, quando o uso de determinadas peças era exclusividade do mundo masculino. Mas, como relatei no início desse artigo, os tempos, felizmente, mudaram. 

Continua após a publicidade
kate middleton alfaiataria
Princesa Kate Middleton com terno de alfaiataria. (Max Mumby/Indigo/Getty Images)

A imposição de peças restritas ao mundo masculino ficou definitivamente no passado. Hoje a moda não cria rótulos, pelo contrário. Abre caminho para a liberdade que cada um acessa de acordo com seus valores e estilos.

Mas quais foram as principais peças que migraram ao longo dos séculos do guarda-roupa masculino para o feminino, e que hoje continuam em alta nas passarelas mundo afora?

Continua após a publicidade

Antes de tudo, é essencial ressaltar que a alfaiataria sempre esteve na linha de frente das restrições masculino/feminino. Privilégio dos homens, as calças compridas, blazers, camisas, macacões, gravatas, e até mesmo o aclamado jeans, foram migrando diante da importância e da independência que a mulher foi conquistando através dos séculos e, especialmente, em alguns acontecimentos históricos, como a Segunda Guerra Mundial e, atualmente, o conflito entre Rússia e Ucrânia, que por uma série de questões econômicas também impacta a moda.

É importante salientar o papel das estilistas ao longo de toda essa evolução. Afinal, elas se inspiram nas mudanças culturais e sociais para criar suas peças de maneira que elas representem esses movimentos e seus avanços. Vamos entender melhor como essas transformações aconteceram e como fortaleceram o protagonismo feminino?

A calça comprida, por exemplo, sempre foi vista como um grande símbolo de poder masculino. Foram estilistas como Coco Chanel, um dos maiores ícones da moda, e Paul Poiret que encamparam essa revolução e introduziram a peça no guarda-roupa feminino

Continua após a publicidade

Coco Chanel revolucionou a moda na década de 1920. Foi graças a ela que vários padrões foram quebrados. O blazer que apareceu em 1837, no Reino Unido, como peça exclusivamente masculina, ganhou um novo olhar por volta de 1930, quando a estilista, inspirada na peça masculina, criou o tailleur feminino. 

A camisa masculina, tão curtida por muitas mulheres na década de 1950, e que continua em alta, também passou pelas mãos da estilista e foi abraçada pela atriz Audrey Hepburn, mulher com grande poder de influência naquele momento. A peça, sem dúvida alguma, se transformou num ícone de estilo que permanece atual e marcante. 

O jeans, outro item que pertenceu ao guarda-roupa masculino, e que hoje é muito representativo da silhueta feminina, passou a ser usado pelos dois gêneros quando as mulheres conquistaram postos de trabalhos antes restritos aos homens durante a Segunda Guerra Mundial.

Continua após a publicidade

Agora que já vimos a evolução do uso dessas peças entre os dois gêneros e de como elas continuam em alta, darei algumas sugestões das últimas tendências de 2023.  

Alfaiataria

alfaiataria feminina Paris Fashion Week
Clássica ou disruptiva, a alfaiataria mostrou toda a sua força na Paris Fashion Week (Getty Images/Getty Images)

As peças de alfaiataria estiveram em alta no radar das grandes marcas durante os desfiles recém-realizados nas principais semanas de moda europeia. Com uma pegada de estilo sofisticada, as calças, jaquetas e coletes chamaram atenção e marcaram presença nos desfiles de diversas marcas com um visual altamente contemporâneo e com propostas diferenciadas. As peças passeiam com desenvoltura nos universos masculino e feminino. 

Continua após a publicidade

Blazers X Shorts

blazer e shorts de alfaiataria
Blazer e shorts, hoje, dominam o guarda-roupa feminino. (Jeremy Moeller/Getty Images)

Algumas grifes apostaram na ousadia e exibiram na passarela blazers com ombros largos e marcantes, o que pode atrair muitas mulheres, principalmente aquelas que investem num look mais elaborado. Aliados a saias lápis, formam um visual que transmite elegância e personalidade. As duplas blazers e shorts ou blazers e calças, o famoso terninho, também estão em alta, principalmente em tons monocromáticos. Se você é adepta de um estilo mais contemporâneo, essa proposta tem tudo para agradar. 

Gravatas

look feminino com gravata
Peça nascida no guarda-roupa masculino, a gravata pode imprimir um visual único e moderno à mulher. (Edward Berthelot/Getty Images)

Para aquelas que gostam de uma pegada mais ousada, as gravatas podem fazer a diferença. Peça nascida no guarda-roupa masculino, a gravata pode imprimir um visual único e moderno à mulher. Uma aposta que funciona é usá-la com um conjunto de calça e blazer monocromático ou mesmo em tons diferentes. A peça também pode ser um ponto de atenção se usada com vestidos ou com camisas brancas, tenham elas um toque mais tradicional ou moderno. 

Calçado com pegada masculina

Não chega a ser novidade que o Oxford está introjetado no estilo de muitas mulheres mais conectadas à modernidade. Criado na concepção masculina, ele foi evoluindo e hoje é um ícone feminino para muitas marcas. Nas versões mais atuais, o modelo de calçado apresenta uma plataforma mais grossa e adornos diferenciados. Se você gosta de imprimir um estilo que faça a diferença, essa dica é sinônimo de sucesso.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.