CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Aquecedores para a casa: dicas para escolher o modelo ideal

Especialista recomenda levar em consideração o tamanho e o tipo de ambiente onde você pretende usar o equipamento

Por Nádia Simonelli Atualizado em 30 Maio 2022, 14h57 - Publicado em 2 jun 2022, 08h00
como escolher aquecedores de ambiente
divulgação/CASA CLAUDIA

O inverno ainda não chegou oficialmente, mas a temperatura já diminuiu em várias regiões do Brasil. E, com o frio chega também a vontade de deixar a casa mais quentinha. Para isso, os aquecedores de ambientes são uma boa opção. No mercado há várias opções e para você não ficar em dúvida sobre qual escolher, falamos com João Pedro Lúcio, técnico de operações da Maria Brasileira, rede de franquias de serviços e cuidados residenciais e corporativos. Descubra a seguir qual é o aparelho mais indicado para a sua casa!

Aquecedor incandescente

Com bom custo-benefício, esse tipo de aquecedor é fácil de carregar e de guardar, pode ficar tanto no chão como apoiado em mesas e bancadas, não faz barulho e nem tira a umidade natural do ambiente. “Os modelos de aquecedores elétricos vêm com potências que começam em 600 watts até 1500W, geralmente com dois ou três níveis de aquecimento e contam com modelos giratórios pra espalhar melhor o calor”, explica o técnico. É indicado para espaços de até 12 metros quadrados, fechados, com pouca ventilação ou sem janelas, porque mantém o espaço bem agradável. Aquece na medida certa, sem abafar.

Termoventilador

Esse aquecedor é formado por uma resistência parecida com do chuveiro e um pequeno ventilador, que espalha o calor no ambiente. Além de manter o aquecimento por igual, também funciona como desumidificador. “É excelente nas cidades onde chove bastante no inverno. Quando aquece demais e acontece uma queda de energia na rede, o termoventilador desliga automaticamente”, afirma.

Alguns modelos contam ainda com dois termostatos de segurança pra substituir o principal, se ele queimar. “A potência varia entre 1200 e 2000W, vem com até 3 níveis de regulagem e mais um a frio em vários aparelhos, podendo funcionar como ventilador no verão. O aquecimento começa em 500 ou 600W, bem agradável para dias menos frios de outono, por exemplo”, diz João Pedro.

É a melhor opção em ambientes de até 20 metros quadrados, principalmente se tiver pouco espaço para guardá-lo quando não estiver usando. Os menores chegam a ter apenas 50 centímetros. “Esse também é um dos aquecedores mais seguros pra quem tem crianças, animais de estimação e pessoas idosas em casa. Nele, o ventilador e a resistência ficam protegidos por uma grade e a parte de fora não esquenta. Mas em caso de queda acidental ou se jogarem algum objeto que abafa a saída de ar, ele desliga automaticamente”, explica.

como escolher aquecedores de ambiente
divulgação/CASA CLAUDIA

Aquecedor de cerâmica

O aquecedor cerâmico é eficiente para manter espaços maiores bem quentes por mais tempo. “Só não é recomendado para o quarto de dormir ou sala de estudos, porque o motor faz um pouco de barulho”, avisa o técnico.

É o tipo de aquecedor com  a maior variedade de tamanhos e estilos: tem os compactos, que ficam em cima do móvel, o formato de torre giratória, o modelo de piso e o fixo na parede, que é ideal pra climatizar salas e banheiros grandes. Aquece ambientes de até 30 metros quadrados, com potências que alcançam até 1500W.

Continua após a publicidade

Conta com várias opções de regulagem de temperatura e podem vir com ou sem um desumidificador. “O maior benefício é que, diferente dos outros dois modelos que não podem ser usados em banheiros por causa do risco de choque elétrico, isso não acontece com o tipo cerâmico. Ele é seguro para usar em praticamente qualquer ambiente, só não deve ficar em áreas externas ou em contato direto com a água”, diz o profissional.

Aquecedor a óleo

O aquecedor a óleo leva mais tempo para esquentar se comparado aos outros modelos, mas segura o calor no ambiente por bastante tempo. “Ele também é o mais econômico, porque assim que atinge a temperatura ideal, desliga, poupando energia elétrica e deixando a casa ou escritório bem aconchegantes”, diz o técnico. Todos os modelos são do tipo torre com rodinhas e alças pra carregar, ideais para ambientes com 30 metros quadrados ou mais.

Os aparelhos vêm com 3 níveis de potência, 600, 900 e 1500W. “O aquecedor a óleo é a melhor escolha pra quem procura a combinação de um tipo econômico, que mantém o calor por mais tempo sem tirar a umidade natural do ambiente, ótimo pra invernos secos. Além disso, não faz barulho”, explica.

como escolher aquecedores
Umberto / Unsplash/CASA CLAUDIA

Aquecedor a gás

Se os aquecedores elétricos não dão conta do frio da sua casa ou região, a solução é o aquecedor a gás. “Nele, você usa um botijão GLP P13, aquele de cozinha, pra criar uma chama parecida com a do fogão convencional. Ele oferece vários níveis de regulagem de temperatura e um sistema que desliga se o ambiente aquecer demais e começar a ficar sem oxigênio. É seguro, mantém  o ambiente confortável e longe de acidentes, tanto que conta com corta gás e corta energia, em caso de tombamento ou vazamento”, afirma João Pedro.

É o único com modelos interno e externo. Nos internos, a chama fica escondida dentro do aquecedor, com uma proteção de cerâmica para o queimador. E alguns tipos vêm até com uma chapa na parte de cima pra aquecer chá ou café. Já o aquecedor a gás externo tem formato de torre, com uma chama forte que fica em cima ou bem no meio, protegida por uma grade de segurança.

“Esses vêm com materiais resistentes ao sol e chuva, em alumínio ou aço galvanizado. É próprio pra deixar em jardins, áreas de piscina, bares, restaurantes e espaços de eventos ao ar livre. Pode aquecer ambientes com mais de 40 metros quadrados mesmo no inverno rigoroso”, diz. O aquecedor a gás também é o único que atende a grandes espaços sem perder temperatura, mesmo que na casa ou local de trabalho não tenha forro ou vedação total das janelas. Ele é uma boa alternativa pra quem não quer ou não pode construir uma lareira em regiões em que as temperaturas chegam a ficar abaixo de zero. E não precisa de obra pra instalar, é só ligar o gás.

Dica final

“Escolher um aquecedor de ambientes depende do quanto o consumidor está disposto a desembolsar pelo produto e do impacto no consumo de energia, já que todos são dispendiosos”, diz João Pedro. “Além de conter o selo do Inmetro, que garante que o produto passou por testes de qualidade, o consumidor deve observar a potência do produto na hora de escolher, lembrando que quanto maior a potência, mais elevado será o consumo”, finaliza o técnico.

Continua após a publicidade

Publicidade