Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Caixa empresta 20 dólares à cliente e recebe mais de 20 mil por recompensa

Dinheiro foi arrecadado por fregueses que queriam retribuir a generosidade e a qualidade do atendimento prestado pela funcionária

Por Da Redação - Atualizado em 6 out 2020, 09h36 - Publicado em 6 out 2020, 12h30

Em tempos em que o individualismo humano parece ter ganhado contornos mais expressivos, histórias de solidariedade como a protagonizada por Rita Jackson Burns, caixa da rede farmacêutica americana Walgreens, aquecem o coração mais do que de costume.

Tudo começou no dia 7 de setembro, quando, na fila do caixa de uma unidade da Walgreens em Houston, Texas, a corretora de imóveis Rina Liou percebeu que havia esquecido a carteira. Ela parou na loja para comprar lâmpadas para uma casa que mostraria a alguns clientes em poucos minutos e, sem a carteira, seu único método de pagamento disponível era o Apple Pay, que não sabia usar.

Nervosa e sem saber o que fazer, Rina começava a se perguntar como os potenciais compradores reagiriam ao não conseguir acender as luzes da casa, quando Rita, a caixa que lhe atendia, interveio. “Eu tenho apenas 20 dólares na minha conta, mas pagarei para você”, disse, oferecendo o próprio cartão de débito.

As lâmpadas, que estavam na promoção, custavam pouco mais de 12 dólares. “Eu estava um pouco envergonhada por ter apenas 20 dólares no banco porque eu havia acabado de pagar minhas contas”, explicou Rita ao Washington Post. Mesmo assim, queria ajudar porque se estivesse em uma situação difícil, esperaria que fizessem o mesmo por ela.

Extremamente grata, Rina disse que voltaria naquela mesma tarde para pagar Rita. Ela cumpriu a promessa, retornando com 15 dólares para as lâmpadas e 30 dólares extras para Rita. “Ela me salvou aquele dia”, afirmou a corretora. “Era o mínimo que eu poderia fazer. Não me senti culpada de pegar o dinheiro dela emprestado, porque eu sabia que iria pagá-la. Mas ela não sabia disso. Fiquei comovida por ela não hesitar em me ajudar.”

Tudo poderia ter terminado ali, se Rina não decidisse postar sobre o ocorrido em um grupo de sua vizinhança. Logo, dezenas de pessoas passaram a perguntar como poderiam demonstrar seu apreço por Rita e uma emissora de TV local se interessou pela boa ação da caixa, fazendo a história se espalhar.

Continua após a publicidade
Mesmo tendo tão pouco em sua conta, Rita não hesitou em se colocar no lugar da cliente e ajudá-la Rina Liou/Reprodução

Por trabalhar há 38 anos na filial da Walgreens, Rita conhece todos os clientes regulares e muitos deles queriam recompensar suas décadas de serviço, entre eles Michelle Suh. Foi ela quem teve a ideia de organizar uma vaquinha na plataforma GoFundMe para retribuir as contribuições de Rita enquanto uma trabalhadora essencial durante a pandemia do coronavírus.

“Até que a Walgreens e nosso país paguem mais aos nossos trabalhadores essenciais, vamos nos esforçar para garantir que a Sra. Rita tenha mais de 20 dólares em sua conta”, escreveu Michelle. “Ela nos deu muita bondade e adoraríamos mostrar o quanto ela significa para nós.

A campanha arrecadou mais de 20 mil dólares e dezenas de comentários de agradecimento dos clientes. “Rita, seu sorriso e suas palavras gentis nos cumprimentaram toda vez que entramos na loja. Em um dia ruim, você nos fez esquecer nossos problemas por alguns minutos. Em um dia bom, você compartilhou nossas risadas”, escreveu Sandi Mercado, que já havia sido ajudada pela caixa em situações parecidas com a vivida por Rina.

A generosidade chocou Rita, que se disse muito grata pela ação. Como principal provedora da casa onde vive com o marido aposentado e um filho adulto, ela declarou que irá economizar parte do dinheiro para possíveis emergências, mas que gostaria de doar uma parte para ajudar crianças carentes e mostrar a elas o que pode acontecer quando se ajuda outras pessoas.

Já Rina está decidida a se tornar uma cliente fixa da loja. “Conversei bastante com Rita desde que tudo aconteceu e aprendi que, mais do tudo, ela gosta da conexão com os clientes. É o que a motiva a ir trabalhar todas as manhãs: ver se ela pode alegrar o dia de alguém. Ela trabalha com o coração. Estou feliz por conhecê-la.”

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade
Publicidade