CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Rússia anuncia primeira vacina contra Covid-19 para animais

O imunizante promove a proteção dos animais mais vulneráveis e impede a chance de novas mutações

Por Da Redação 1 abr 2021, 12h40

A Rosselkhoznadzor, agência reguladora agrícola da Rússia, registrou nesta quarta-feira (31) a primeira vacina contra Covid-19 para animais do mundo, a Carnivac-Cov.

A vacina é uma resposta à preocupação da Organização Mundial da Saúde (OMS) com a transmissão do vírus entre humanos e animais. Com o imunizante, as espécies mais vulneráveis e de maior contato humano poderão ser protegidas e impedir novas variantes provenientes das mutações do coronavírus em animais.

“Os resultados dos estudos nos permitem concluir que a vacina é inofensiva e que é altamente imunogênica, pois os anticorpos para o coronavírus foram desenvolvidos em 100% dos casos”, afirmou Konstantin Savenkov, vice-chefe da agência reguladora russa.

Os ensaios clínicos tiveram início em outubro de 2020 e contou com a participação de gatos, cães, raposas, visons, entre outros animais. De acordo com a agência, a vacina também é recomendada para animais carnívoros.

Até o momento, a Rússia documentou apenas dois casos de Covid-19 entre animais, ambos em gatos.

Continua após a publicidade

No Brasil, há o registro de apenas um caso da manifestação do vírus em animais, o de um cachorro de Minas Gerais. No entanto, até o momento do anúncio, 11 animais participantes de uma pesquisa já haviam sido diagnosticados com o coronavírus.

Um dos episódios mais marcantes da manifestação do coronavírus em animais se deu em novembro do ano passado, quando a Dinamarca abateu todos os 17 milhões de visons – animais semelhantes a doninhas – de seus criadouros. Especialistas concluíram que uma linhagem do coronavírus havia passado de humanos para visons, que sofreu mutação e infectou 12 pessoas.

Criadouros russos, que investem na criação de animais para o cultivo de peles e representam 3% deste mercado global, são os principais interessados nesta vacina, tal como a Grécia, Polônia e Áustria.

Em fala ao jornal Izvestia na última segunda-feira (29), Alexander Gintsburg, chefe do instituto que desenvolveu a vacina para humanos Sputnik V, disse que provavelmente os animais serão as próximas vítimas da Covid-19. 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade