Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Após homem engravidar menina de 12 anos, pais dela respondem por estupro

O suspeito também foi indiciado e, após decisão judicial, não pode se aproximar do bebê, que nasceu em agosto

Por Da Redação Atualizado em 3 fev 2021, 22h07 - Publicado em 4 fev 2021, 10h00

A Justiça indiciou um homem de 19 anos por estupro após ter engravidado uma menina de 12 anos. Segundo o Universa, o caso aconteceu ano passado no município de Porto Grande, no Amapá. Além do rapaz, os pais da vítima também pelo crime de estupro por permitirem que a filha morasse com o homem.

A polícia tomou conhecimento da relação no começo de 2020, quando o pai da menina realizou um Boletim de Ocorrência para registrar, segundo ele, que a filha tinha sido agredida pela cunhada. O episódio de agressão teria acontecendo enquanto a menor já estava grávida.

Suspeitando do contexto em que a menina estava inserida, agentes policiais se passaram por assistentes sociais para acompanhar a rotina dos envolvidos. “O rapaz indiciado confessou que a adolescente estava morando com ele desde março de 2019”, disse o delegado Bruno Braz.

O bebê nasceu no mês de agosto e, no momento, vive com a mãe e os avós após uma decisão judicial que impede o suspeito de se aproximar da criança.

Em depoimento à policial, a vítima relatou que cresceu com esse homem por perto e se apaixonou. Segundo o delegado, tanto o suspeito quanto os pais da menina tiveram suas prisões solicitadas, porém o pedido foi indeferido. Atualmente, o inquérito está em análise pelo Ministério Público.

Para denunciar um caso de violência sexual, entre em contato com a Polícia Militar (190), em situação de flagrante, ou na Central de Atendimento à Mulher (180) para demais situações. Esse último também oferece atendimento via WhatsApp no número (61) 99656-5008.

No caso de estupro, a vítima também tem direito de receber atendimento clínico, para receber medicações de prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis, as ISTs, e psicológico. Além disso, elas também têm a opção do aborto, que é garantido por lei nesta condição.

  • Resiliência: como se fortalecer para enfrentar os seus problemas

    Continua após a publicidade
    Publicidade