Marieke Vervoort, atleta paralímpica, se prepara para eutanásia

Sua tetraplegia progressiva está avançando de uma forma que assusta até os médicos

A atleta paralímpica belga Marieke Vervoort, 38 anos,se prepara para passar por eutanásia. Vencedora de medalha de prata na Rio 2016, ela precisou driblar a dor para chegar ao pódio. Sua doença, no entanto, vem avançando de forma impiedosa. Ela é portadora de tetraplegia progressiva e a forma que ela está acelerada assusta até mesmo os seus médicos.

Marieke está internada no Hospital Universitário de Bruxelas, capital da Bélgica, e se prepara para pôr um fim em sua vida –ainda sem data marcada. Em entrevista exclusiva ao Telegraph, ela conta como tem sido a espera.

Leia tambémAmar é deixar partir: eutanásia ainda é tema polêmico

“Não quero mais sofrer. Está muito difícil para mim agora. Eu estou cada vez mais deprimida. Eu nunca tive esses sentimentos antes” disse. “Eu choro muito. Agora, até a minha visão está desaparecendo. Um oftalmologista me disse que não havia nada que ele pudesse fazer, porque o problema estava vindo do meu cérebro.”

Marieke continuou narrando a progressão dos sintomas. “Então, um neurologista ficou comigo toda a noite enquanto eu tinha um espasmo após o outro. Ele disse que não era uma crise epiléptica, mas apenas o corpo gritava: ‘Estou com tanta dor. Estou acabada.'”

A atleta escreveu cartas personalizadas para cada pessoa com quem ela se importa. Os envelopes já estão carimbados e endereçados para serem encaminhados quando chegar o momento.

Esse é apenas um dos detalhes de sua morte que foram orquestrados pela belga. Ela espera que sua passagem seja marcada pela abertura de uma caixa vermelha, de onde borboletas brancas serão liberadas. Além disso, seu funeral não será em uma igreja. “Se houver um Deus, deve ser um cara ruim para me punir desse jeito”, disse.

Leia também: O Último Abraço: um grande amor acaba em eutanásia e vira livro

Seu pai, Jos, professor aposentado de direito tributário, contou que ela consegue ingerir apenas pudim. “O fim está chegando”, disse ele.

No entanto, antes de se despedir deste mundo. Marieke irá passar um último Natal com sua família em Diest, uma cidade pequena a cerca de 40km de Bruxelas. “Estou com medo de ir sozinha. Mas é o meu lugar favorito no mundo. Quero que minhas cinzas se espalhem no oceano lá.”