Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Pai de Britney Spears diz que #freeBritney “é uma piada”

Jamie Spears chama movimentação nas redes sociais de “conspiração” e chora afirmando que ama a filha

Por Da Redação - Atualizado em 1 ago 2020, 13h36 - Publicado em 1 ago 2020, 13h14

Não é nenhuma surpresa, o pai e empresário da cantora Britney Spears, Jamie Spears, não está nada satisfeito com a movimentação #freeBritney. “É uma piada”, ele desabafou com o NY Post.

#FreeBritney é uma iniciativa dos fãs que alegam que a cantora está prisioneira da própria família há 12 anos. Britney não tem autonomia sobre nenhuma decisão de sua vida, nem mesmo pode dirigir um carro sozinha. A intervenção familiar foi liderada por Jamie, depois que Britney teve uma crise nervosa, raspou o cabelo e quebrou carros de paparazzis, em 2008. A medida era para ser temporária, mas nunca foi revista.

Jamie Spears, pais de Britney Spears Jeffrey Mayer/WireImage/Getty Images

“Essas teorias conspiratórias não sabem nada, o mundo não tem a menor pista. A justiça da Califórnia é quem vai decidir o que é melhor para a minha filha, o assunto não diz respeito a mais ninguém”, ele falou.

Jamie nega os rumores de que ele ou alguém esteja desviando dinheiro da cantora. “Eu sou obrigado a reportar cada centavo gasto para a Justiça todo ano. Como poderia ‘roubar’ alguma coisa”, se defende Jamie.

O pai da cantora se queixou da agressividade dos fãs, que pressionam para a revisão da intervenção. “Tem pessoas ameaçando morte e sendo perseguidas, é horrível. Não queremos esse tipo de fãs”, ele reclama antes de emendar chorando. “Eu amo a minha filha, eu amo todos os meus filhos, mas isso é assunto nosso. É privado”, completou.

O apoio do movimento pela liberdade da cantora ganhou apoio de celebridades como Miley Cyrus e Paris Hilton, amigas de Britney. Segundo a petição com mais de 100 mil assinaturas, pedindo a revisão da decisão da Justiça que dá poder a Jamie sobre Britney, ela não tem permissão de se comunicar com amigos, com telefonemas e mensagens sendo monitoradas. Se ela desobedecer, é ameaçada com a perda da guarda dos filhos. A movimentação #freeBritney questiona o fato de que se a cantora pode trabalhar, então ela pode cuidar de sua própria vida, algo que a família dela nega ser possível.

Adam Streisand, o advogado que a cantora contratou em 2008, dá um testemunho ambivalente sobre a história. Ele conta que, na época, a cantora não queria o pai como responsável por ela. Jamie é conhecido como como “control freak” (super controlador), mas para o advogado, não é criminoso. “Ela está protegida de uma forma que Michael Jackson não foi: dela mesma e de outras pessoas. Se ficar autônoma, começam os problemas. Ela tem problemas muito sérios”, diz.

Os problemas familiares dos Spears são muito sérios. Em uma briga no ano passado, Jamie chegou a ser afastado e ter uma ordem judicial o afastando dos netos depois de uma briga que chegou à agressão física. Ele não tem acesso aos netos. A mãe de Britney, Lynne, que se divorciou do marido em 2002, já deu like em alguns dos posts da campanha #freeBritney.

A próxima etapa da decisão judicial será anunciada no dia 22 de agosto. Até o momento, é incerto o quanto a própria Britney apoia a campanha, que a colocou em evidência novamente.

Continua após a publicidade
Publicidade