Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Atores ligados a Woody Allen se posicionam contra o cineasta

Bem antes do boom de denúncias em Hollywood, Woodie Allen foi acusado de estuprar a filha quando ela tinha sete anos.

Por Júlia Warken Atualizado em 17 jan 2020, 10h07 - Publicado em 17 jan 2018, 11h18

Em meio ao efeito dominó contra o assédio sexual em Hollywood – causado pelos escândalos envolvendo Harvey WeinsteinWoody Allen parecia imune a represálias. Isso porque as acusações que surgiram contra ele são relativamente antigas, e remetem a uma época em que o assunto não tinha muito impacto.

Só que a denúncia envolvendo o cineasta ele é BEM pesada. Dylan Farrow, uma das filhas adotivas do diretor, diz que foi estuprada por ele aos sete anos de idade. 

E esse não é o único escândalo sexual envolvendo seu nome. A ex-mulher de Allen, Mia Farrow, pediu o divórcio após descobrir que ele e sua outra filha adotiva, Soon Yi Previn, mantinham um romance. A garota tinha 19 anos na época. Vale lembrar que, frente ao debate gerado pelas denúncias contra Weinstein, Woody Allen declarou que temia uma “caça às bruxas” em Hollywood. 

O romance entre Allen e sua filha adotiva veio à tona quando a garota tinha 19 anos Brenda Chase/Stringer/Getty Images

A acusação de Dylan veio a tona em 2014 e isso não abalou em nada a carreira do pai. Depois disso, ele continuou lançando filmes normalmente e trabalhou com atrizes como Emma StoneKate WinsletKristen Stewart. E mais: em sua mais nova produção “A Rainy Day in New York” (ainda inédito) há uma cena de sexo descrita como questionável, envolvendo um homem de meia idade e uma adolescente de 15 anos.

“Qual o motivo de Harvey Weinstein e outras celebridades acusadas de abuso terem sido banidas de Hollywood enquanto Allen recentemente conseguiu um contrato milionário de distribuição de seu próximo filme?”, declarou Dylan em uma recente entrevista à emissora CBS.

Continua após a publicidade

Bom, e parece que finalmente Hollywood começou a reagir. Tudo começou com uma declaração de Greta Gerwig – cineasta cotada a uma indicação ao Oscar por “Lady Bird” – que se diz arrependida de ter trabalhado com Allen. Depois disso, alguns atores do novo filme do diretor também passaram a se manifestar.

Rebecca Hall e Timothée Chalamet disseram que vão doar seus cachês a instituições de apoio a mulheres. Selena Gomez engrossou o coro, e declarou que sua doação será ainda maior do que o pagamento que recebeu por atuar em “A Rainy Day in New York”. Os outros principais nomes do elenco – Elle FanningJude LawDiego LunaLiev Schreiber – ainda não se pronunciaram.

Não deve-se descartar a possibilidade de que os atores em questão estejam sendo demagogos nesse momento. Mesmo assim, é notável ver que Hollywood está finalmente acordando para o fato de que Woody Allen não está acima do bem e do mal e que a história contada por Dylan Farrow não pode ser simplesmente ignorada. Resta saber se isso de fato surtirá algum efeito a longo prazo.

Continua após a publicidade
Publicidade