Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Demi-Leigh Nel-Peters da África do Sul é a Miss Universo 2017

Confira como foi o trajeto para que a grande vencedora do Miss Universo chegasse ao topo da competição.

Por Fábio Garcia Atualizado em 17 jan 2020, 12h05 - Publicado em 27 nov 2017, 00h05

O Miss Universo 2017 causou muita emoção nessa última noite (e madrugada para nós brasileiros) do dia 26. Estávamos todos torcendo por nossa querida Monalysa Alcântara e haja coração para segurar a ansiedade de ver quem seria a escolhida como a mais linda mulher do mundo. Saiba como foi o evento e, claro, como foi a coroação:

O que rolou no evento

O Miss Universo de 2017 foi apresentado pelo mesmo Steve Harvey, aquele mesmo apresentador que em 2015 se confundiu e entregou a coroa para a Miss errada. Mas a repetição de apresentador não quis dizer que o programa foi bem parecido com edições passadas, pois o Miss Universo apresentou muitas novidades. Para começar, esse foi o Miss Universo com a maior quantidade de países participantes, nada menos que 92 nações enviaram suas representantes para o maior concurso de beleza do mundo. Entre esses países, alguns são estreantes na competição, como o Camboja e o Nepal.

Steve Harvey, Miss Universo
TNT/Reprodução

Outra novidade foi a divisão das misses em três grupos de acordo com a nacionalidade: Américas, Europa e, por fim, um grupo que abraçou todo o resto do mundo (com África, Ásia e Oceania). O top 16 seria formado por 4 misses de cada um desses grupo, além de mais quatro misses que seriam “salvas” de qualquer um dos grupos anteriores.

Em meio aos desfiles das 92 competidoras, o show exibia entrevistas e matérias previamente gravadas. Iris Mittenaere, a francesa que ganhou o Miss Universo de 2016, marcou presença no evento mostrando um pouco como sua vida mudou depois de se mudar para os EUA e desempenhar suas funções como Miss. “É o melhor trabalho do mundo”, declarou Iris enquanto víamos na televisão ela visitando lugares e brincando com crianças pobres.

Monalysa Alcântara, Miss Universo
TNT/Reprodução

A trilha sonora da festa ficou por conta da cantora Fergie, que se apresentou durante o desfile de gala do TOP 10 e encantou com uma música bem diferente do que estávamos acostumados no Black Eyed Peas ou mesmo em sua carreira solo. Rachel Platten, de “Fight Song”, também fez parte dos shows musicais da premiação realizada em Las Vegas e performou para as 3 finalistas.

O Top 16

O primeiro quarteto a ser divulgado foi o grupo formado por países da África, da Ásia e da Oceania. Depois de algumas brincadeirinhas do apresentador relembrando seu mico de 2015, descobrimos que Tailândia, Sri Lanka, Gana e África do Sul estavam a caminho da disputada coroa. O segundo grupo divulgado foi o da Europa, que levou Espanha, Irlanda, Croácia e Grã-Bretanha para a almejada final.

Miss Croácia no Miss Universo
TNT/Reprodução

Mas o Brasil queria saber mesmo se nossa representante, a Monalysa Alcântara, estaria nas finais. Por sorte, a Miss Brasil foi chamada no grupo das Américas, ao lado de Colômbia, Estados Unidos e Canadá. Assim que foi recebida pelo apresentador Steve Harvey, ele brincou com o fato da bela brasileira ter ficado um ano com cabeça raspada. Ela respondeu à brincadeira fazendo uma referência à cabeça lisinha do apresentador do Miss Universo.

Continua após a publicidade
Miss Brasil no Miss Universo
TNT/Reprodução

Para completar as 16 escolhidas, foram chamadas as misses das Filipinas, Venezuela, Jamaica e, por fim, a da China.

Desfile de Biquíni e empoderamento

Talvez já prevendo que haveria alguma reação do público, a produção do Miss Universo achou de bom tom colocar antes do concurso de biquíni um vídeo da Miss Universo do ano passado acompanhada de outras misses comentando sobre feminilidade e empoderamento das mulheres. Segundo Iris, fazer um desfile em trajes de banho não deixa de ser uma forma de empoderar-se e mostrar como se cuida da saúde. Logo depois do discurso motivacional, as misses foram se apresentando uma a uma com biquínis ao som de uma música ao vivo.

Miss Universo
TNT/Reprodução

Monalysa Alcântara, a Miss Brasil

Monalysa teve uma boa campanha no Miss Universo, conseguiu ser uma das quatro escolhidas do grupo das Américas. Nos desfiles seguintes vimos nossa Miss Brasil chamando atenção por onde passava, tanto que os comentaristas americanos do Miss Universo não paravam de falar sobre as qualidades da brasileira.

Infelizmente não foi o bastante para ela chegar ao final da competição. Após ser uma das selecionadas para o TOP 10 e desfilar durante uma apresentação musical da Fergie, Monalysa não foi chamada para o TOP 5 da competição e precisou se despedir do palco. Uma pena, mas ficamos com bastante orgulhinho de nossa representante e do quão longe ela chegou.

As três finalistas e a vencedora

Após o segmento com as misses respondendo perguntas sobre temas variados, Steve Harley comunicou que as candidatas da Jamaica, Colômbia e África do Sul eram as três finalistas do Miss Universo. Definido o TOP 3, elas passaram por mais algumas etapas que consistiam em responder uma mesma pergunta e dar seu recado final para convencer os juízes.

Com muito mistério (e algum receio de coroar a pessoa errada de novo), Steve Harvey anunciou que a Miss Jamaica havia ficado em terceiro lugar. Após algumas vaias da platéia, o apresentador continuou e entregou a coroa para Demi-Leigh Nel-Peters, a Miss África do Sul.

Miss Universo 2017
Foto: Matt Petit/ Miss Universe/Reprodução

Demi-Leigh Nel-Peters tem 22 anos e chamou a atenção logo em sua primeira vinheta exibida quando contou sobre como foi sequestrada por bandidos. Desde então, ela se empenha em campanhas para ensinar técnicas de autodefesa para mulheres na África do Sul. Parabéns pela vitória, Demi!

Continua após a publicidade
Publicidade