Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

4 receitas de drinques sem álcool para refrescar seu verão

Saia da mesmice com os drinques (sem álcool!) de Ana Luiza Trajano. Ela ensina até receita de raspadinha e refrigerante caseiro

Por Texto: Marina Marques | Fotos: Rogério Voltan | Produção: Olivia Canato | Concepção visual: Lorena Baroni Bósio - Atualizado em 25 ago 2020, 15h56 - Publicado em 6 jan 2020, 07h00

No verão, esticamos as happy hours e as tardes de domingo na piscina ou no parque. É muito bom curtir a estação, mas desde que hidratada. Se estiver cansada das bebidas de sempre, aceite o incentivo da chef Ana Luiza Trajano para criar novas possibilidades. Começando com um suco diferentão e colorido (veja abaixo).

“O Brasil tem uma enorme variedade de frutas; basta saber combiná-las”, diz ela. Para obter o efeito, o truque é mesclar frutas mais aquosas, como amora e melancia, a outras mais densas, como manga e cajá. O drinque sem álcool é outra opção divertida. “Essas composições pedem ingredientes que produzam, no final, um sabor complexo, como hortelã e pimenta”, explica, referindo-se ao caju-moça.

Para quem acha que refrigerante caseiro é impossível de fazer e que não fica tão gostoso, Ana ensina uma receita da bebida com gengibre. De preparo prático, exige apenas paciência com o tempo de fermentação e cuidado ao armazená-la – tem que ser em uma garrafa plástica flexível, e não de vidro, pois ela pode se quebrar durante o processo. Só transfira para a de vidro quando o refrigerante estiver pronto – e sem tampa. E não poderia faltar a raspadinha, um clássico que deixa qualquer ocasião com clima de praia. A inusitada combinação de mate com juçara, fruta semelhante ao açaí, resulta em uma bebida única. É para se deliciar!

SUCO DE AMORA E MANGA-OURO

Rogério Voltan/CLAUDIA

Pronto em 10 minutos | Rende 2 copos

170 gramas de amora lavada
3 mangas-ouro fatiadas
Gelo

No liquidificador, bata as amoras com 1/3 de xícara de água filtrada. Transfira para outro recipiente. Lave a jarra do liquidificador e bata a polpa das mangas com um pouco de água, apenas o suficiente para formar um suco espesso. Encha dois copos com gelo e distribua o suco de amora entre eles. Por cima, derrame aos poucos o suco de manga, criando o efeito mesclado.

REFRIGERANTE CASEIRO

Rogério Voltan/CLAUDIA

Pronto em 30 minutos + tempo de fermentação | Rende 2 litros

Continua após a publicidade

100 gramas de gengibre, sem casca, cortado em cubos pequenos
1 colher (sopa) de açúcar refinado
1/3 de maço de capim-santo lavado ou 8 limões-galegos

Em uma garrafa plástica flexível de 500 mililitros higienizada, junte o gengibre, o açúcar e 300 mililitros de água filtrada (por questões de segurança, a fermentação do refrigerante deve ser feita sempre em recipientes plásticos flexíveis, e não de vidro). Tampe e chacoalhe bem. Abra novamente e aperte a garrafa, amassando-a, até que o líquido chegue ao topo. Tampe bem e deixe fermentar em temperatura ambiente. Repita o processo (abra a garrafa, aperte várias vezes e tampe novamente) pelo menos três vezes ao dia. Quando a garrafa começar a estufar, o fermento estará pronto. Reserve-o tampado na geladeira. No liquidificador, bata o capim-santo com 1 litro de água até as folhas se desmancharem. Passe por uma peneira e reserve. Em uma garrafa plástica flexível de 1 litro higienizada, despeje 800 mililitros do suco de capim-santo e complete com 200 mililitros do fermento de gengibre. Aperte a garrafa, amassando-a, para tirar todo o ar, até que o líquido suba ao topo. Tampe bem e deixe fermentar em temperatura ambiente. Em algumas horas ou dias, a garrafa irá estufar e ficar firme como uma garrafa de água com gás. Isso significa que a bebida está pronta e pode ser levada à geladeira. Para o refrigerante de limão-galego, esprema os limões e transfira o suco coado para uma garrafa de plástico flexível de 1 litro higienizada. Preencha com água até completar 800 mililitros e adicione 200 mililitros do fermento. Siga o mesmo procedimento do processo de fermentação do refrigerante de capim-santo. Se preferir a bebida mais doce, adicione açúcar só na hora de servir, e não durante o processo de fermentação.

CAJU-MOÇA E RASPADINHA DE MATE COM JUÇARA

CAJU-MOÇA E RASPADINHA DE MATE COM JUÇARA
Rogério Voltan/CLAUDIA

Pronto em 5 minutos | Rende 1 copo

1/2 colher (chá) de pimenta dedo-de-moça picada
3 folhas de hortelã frescas
1 laranja-baía
100 mililitros de cajuína
Raspas de 1/2 limão-cravo
Gelo a gosto

Em uma coqueteleira ou em um pilão, macere a pimenta dedo-de-moça com as folhas de hortelã (reserve um pouco de cada uma para finalizar). Corte 1/3 da laranja em meia-lua e reserve. Esprema a laranja restante, passe o suco por uma peneira e despeje na coqueteleira. Adicione a cajuína, as raspas do limão e um pouco de gelo. Agite bem e passe a mistura por uma peneira fina. Sirva em um copo com gelo, as fatias de laranja, as folhas de hortelã e a pimenta dedo-de-moça reservadas.

RASPADINHA DE MATE COM JUÇARA

Pronto em 30 minutos | Rende 3 copos

1/2 colher (sopa) de mate tostado
2 colheres (sopa) e 1/2 de açúcar
100 gramas de polpa de juçara ou açaí puro
Gelo

Em uma panela, leve 2 xícaras de água filtrada ao fogo. Quando levantar fervura, adicione o mate tostado. Tampe, desligue o fogo e deixe em infusão por cinco minutos. Coe o chá e reserve. Em uma panela, junte o açúcar, a polpa de juçara e 1/2 xícara do chá-mate preparado. Leve ao fogo baixo por aproximadamente dez minutos ou até que a mistura reduza a 1/3 do início, formando um xarope. Transfira para uma bisnaga ou um pote e deixe esfriar completamente na geladeira. No liquidificador, bata o gelo na função pulsar com a ajuda de uma espátula se necessário. Distribua o gelo batido entre três copos e regue com o xarope de mate com juçara.

Continua após a publicidade
Publicidade