Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Estes são os principais ativos antienvelhecimento da pele

Confira a lista de ativos antienvelhecimento que são o grande diferencial do skincare

Por Da Redação Atualizado em 11 fev 2021, 14h56 - Publicado em 11 fev 2021, 16h00

Os cuidados com a pele desde limpeza, fotoproteção e hidratação são fundamentais mas, ativos antienvelhecimento para prevenir seu desgaste tornam-se o grande diferencial do skincare

Começamos a envelhecer logo que nascemos e cada estrutura da pele, e cada célula, à sua maneira, vai se desgastando e perdendo seu potencial inicial.

A pele oxida constantemente e passa a inflamar com facilidade, tornando-se menos lisa, menos oxigenada, com flacidez, rugas, manchas e textura irregular.

Os ativos antioxidantes e antienvelhecimento vão neutralizar esses efeitos e ajudar na renovação e estímulo das estruturas cutâneas.

Os compostos mais interessantes são os ácidos com potencial renovador e também as vitaminas antioxidantes. Os peptídeos trazem outras possibilidades de estímulo de colágeno e neuromodulação.

O ácido retinóico, que é um retinóide, é o grande protagonista desse grupo de ativos e até hoje não teve substitutos. Os ácidos como o retinóico, retinol e retinaldeído podem ser usados em noites alternadas e têm o potencial de renovar a pele, diminuir a quantidade de óleo, estimular colágeno e também melhorar a oxigenação.

Mas, atenção: dependendo da concentração, dos ácidos e da frequência utilizada, eles podem irritar e até descascar a pele e, por isso, precisam ser alternados com hidratantes.

Outros ativos com essa mesma função são os alfahidroxiácidos como o ácido glicólico, mandélico ou derivados como a gluconolactona, que também renovam a cútis e estimulam a produção de colágeno.

Continua após a publicidade

Esses produtos devem ser usados de preferência à noite, 3 a 4 vezes por semana, espalhados de forma uniforme em toda a pele.

A vitamina C é o grande representante dos ativos antioxidantes que protegem a pele do desgaste da oxidação causada pelo sol, poluição, doenças, falta de sono, entre outros.

A vitamina C é calmante, clareadora e melhora a parede dos vasos, otimizando a oxigenação. A vitamina C, que é o ácido ascórbico, é instável e os produtos que têm esse ativo podem escurecer com facilidade. A origem da vitamina C deve ser verificada e a concentração pode variar 5 a 10%. Quando o produto tem vitamina C e vitamina E, seu potencial de ação é aumentado. Outras vitaminas como vitamina B3 e B5 são muito interessantes para acalmar, manter a barreira cutânea íntegra e hidratar.

Outros antioxidantes como resveratrol e melatonina são poderosos em resguardar as atividades da cútis.

Os peptídeos neuromoduladores são fundamentais para equilibrar a ação dos hormônios e também evitar os excessos de contrações cutânea. Eles são ativos que têm uma sequência de aminoácidos e, conforme essa sequência, podem ter vários efeitos como hidratação e estímulo do colágeno.

As vitaminas antioxidantes e os peptídeos podem ser usados diariamente, tanto de dia como de noite, alternando com ácidos e hidratantes.

Os melhores ativos para sua idade e tipo de pele podem ser indicados pelo seu dermatologista.

Pele bem cuidada é pele saudável.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade