Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Patricia Arquette fala de seu projeto para levar saneamento básico ao Haiti

Tão implacável na filantropia quanto em seus papéis no cinema e na TV, Patricia Arquette é cofundadora da GiveLove, que desenvolve projetos de saneamento básico no Haiti.

Por Patricia Moterani (colaboradora) Atualizado em 21 jan 2020, 11h54 - Publicado em 7 abr 2016, 11h25

Quando ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante por sua atuação em Boyhood (2014), em fevereiro de 2015, Patricia Arquette fez um discurso de agradecimento que viralizou, especialmente por seu pedido por salários e direitos iguais para homens e mulheres nos Estados Unidos. A fala, no entanto, tocou também em outro tema importante e igualmente incomum para o palco da premiação: saneamento básico. Essa é a causa abraçada pela atriz.

Getty Images
Getty Images

Em 2010, após o terremoto que devastou o Haiti, Patricia fundou no país a ONG GiveLove, em parceria com a estilista e amiga de longa data Rosetta Getty, focada em projetos de saneamento local. A intenção é evitar a proliferação de doenças causadas por esgoto a céu aberto e água sem tratamento, como a cólera. “Elas matam mais crianças no mundo do que aids, malária e tuberculose juntas”, diz.

Por que o saneamento básico? Não é necessariamente uma causa pela qual as pessoas se mobilizam por conscientização.

Realmente não é, e isso é frustrante. Mas há comunidades que não têm sequer acesso à água tratada e não podemos simplesmente ignorar isso. Saneamento básico é absolutamente crucial. Além de contrair cólera, muitas crianças do Haiti também pegam parasitas por causa do esgoto despejado na água que elas consomem. Isso contribui para uma má nutrição, já que dificulta a absorção dos nutrientes da pouca comida que comem.

Você viaja muito ao Haiti?

Eu fui para lá umas 14 vezes desde 2010. Mas, nesse momento, não é interessante para a organização que eu esteja sempre por perto. Isso atrairia uma atenção desnecessária, além de envolver um risco de segurança para a equipe que trabalha lá. Às vezes, quando você tem um ótimo time, quanto menos você ficar presente, melhor.

Ser mãe de dois filhos afeta a maneira como você vê a situação no Haiti?

Eu desejo para as crianças haitianas uma vida melhor, assim como desejo para os meus próprios filhos. Não damos valor suficiente ao fato de que sabemos que podemos ir ao banheiro e lavar as mãos sem que fiquemos doentes. E essa não é a realidade na maior parte do mundo. Sempre tento explicar à minha filha Harlow como vivem outras crianças. Ela tem muito orgulho de mim, mesmo que não diga. Um dia, quando estava organizando seu material escolar, encontrei um trabalho no qual ela escreveu: “Quando eu crescer, quero ajudar pessoas, assim como a minha mãe faz”.

Getty Images
Getty Images

Patricia Arquette com estudantes de uma escola na capital, Porto Príncipe, onde a GiveLove lançou seu primeiro projeto, o Green School.

Continua após a publicidade

EM NÚMEROS:

– Custa 25 dólares construir um banheiro em uma casa haitiana.

– 86% da população urbana nos Estados Unidos tem tratamento de esgoto.

– 2% da população urbana do Haiti mora em locais com saneamento básico.

– 1 morte por cólera registrada nos EUA desde 2010.

– 8.813 mortes por cólera no Haiti desde 2010.

Como ajudar?

Acesse os links e conheça melhor o trabalho da ONG:

givelove.org

Facebook/GiveLoveOrg

Continua após a publicidade
Publicidade