Higiene íntima: Os cuidados necessários em 5 situações do cotidiano

Ginecologista explica como evitar doenças e irritação na região genital em situações como idas à praia e prática sexual

Sabonete de glicerina neutro, calcinhas de algodão e chá de camomila. Você sabe o que estes três itens aleatórios têm em comum? Por incrível que pareça, o trio deveria fazer parte da sua higiene íntima para evitar a proliferação de bactérias na região.

Segundo a ginecologista Patrícia Gonçalves, de São Paulo, é importante cuidar da sua saúde íntima para que não haja colonização do trato genital por bactérias oportunistas – que não fazem parte da flora genital normal.

A especialista reforça que “realizar a higiene local duas vezes ao dia e usar sabonete líquido ou em barra de glicerina neutro”, podem ser métodos eficientes para adotar no seu dia a dia.

    Mas atenção…

    Patrícia reforça que “lavar várias vezes por dia as partes íntimas não é bom, porque elimina toda a flora de proteção vaginal que é comporta por lactobacilos”. Além disso, a especialista aponta que os sabonetes íntimos não devem ser utilizados sem orientação do médico ginecologista, pois eles podem alterar o PH vaginal, contribuindo para a proliferação de infecções e doenças/

    Dicas para cuidar da sua saúde íntima em cinco ambientes distintos

    1. Na praia, piscina ou no mar

    “Realizar a troca de roupas úmidas ou molhadas pelo menos a cada 2 horas, e secar as partes íntimas com toalha limpa e seca”, diz Patrícia. Ou seja, nada de ficar com o biquini molhado o dia inteiro enquanto toma sol ou quando vai almoçar depois de um mergulho.

    Na praia, o ideal é não se sentar direto na areia. A ginecologista indica que, após contato com o sal do mar ou o cloro da piscina, a região íntima seja lavada com água doce de chuveiro ou mesmo um borrifador de água. E, claro, não se esqueça de secar a região depois da lavagem.

    2. Na academia

    Se você pratica exercícios todos os dias, a especialista indica alguns cuidados especiais. “É preciso manter sempre as calcinhas secas do suor.  Caso seja necessário, faça uso de gaze (de curativo) ao invés de protetor diário”, sugere a especialista.

    3. Na hora do banho

    “O melhor é levar as partes íntimas utilizando os dedos das mãos delicadamente massageando entre os grandes e pequenos lábios para retirar toda secreção acumulada, utilizando sabonete de glicerina líquido ou barra (o mesmo que se usa para o banho do bebê) e enxaguar bem com água do chuveirinho”, ressalta Patrícia.

    A especialista também oferece uma dica extra para promover o equilíbrio do PH da vagina: passar duas vezes na semana – durante o banho – um algodão banhado em chá de camomila na área externa do órgão sexual e entre os lábios menores.

    4. Depois de ir ao banheiro

    Segundo a ginecologista, o ideal seria tomar banho depois de usar o banheiro. Como isso não é possível – e nem faz bem para a pele –, ela sugere o uso de lenços umedecidos. “Eles devem ser neutros e sem perfume, para que não haja irritação da mucosa ou da pele local das partes íntimas”, explica.

    5. Durante o sexo

    A dica da ginecologista é utilizar preservativo antialérgico, sem lubrificantes químicos para que “não haja irritabilidade da mucosa vaginal”. Além disso, a profissional indica o uso de um lubrificante natural – como o óleo de coco – durante o ato sexual para que a área não fique irritada.

    Leia também: Conheça o Ho’oponopono: a meditação havaiana com poder de cura

    Os 5 benefícios do matchá para a pele

    VOTE no Prêmio CLAUDIA e escolha mulheres que se destacaram