Conheça o superioga e seus benefícios para a terceira idade

Além de prevenir doenças, a atividade física é também uma das formas de melhorar a qualidade de vida, independente de sua faixa etária.

Um estudo realizado pelo Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iampse), no ano de 2013, concluiu que idosos que praticam exercícios físicos com maior regularidade procuraram 35% menos vezes o atendimento médico, quando comparados com aqueles que possuem um estilo de vida sedentário.

O Brasil possui, atualmente, cerca de 20 milhões de idosos, o que corresponde a 14,3% de toda a população brasileira, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2016. 

Além de prevenir doenças, a atividade física é também uma das formas de melhorar a qualidade de vida, independente de sua faixa etária. Para a Dra. Esthela Conde, especialista em longevidade e medicina preventiva, mesmo com a estigmatização que, infelizmente, ainda existe, o crescimento da parcela idosa da população está fazendo com que o conceito de velhice seja revisto por muita gente, que começou a perder o ‘medo de envelhecer‘.

Envelhecer é um ótimo sinal, é sinal de que você permanece vivo e está acumulando cada vez mais memórias e experiências marcantes. E a tendência é que vivamos cada vez mais. Portanto, precisamos buscar maneiras de fazer com que esse processo ocorra da melhor maneira possível, buscando uma longevidade saudável por meio de uma alimentação adequada, atividade física apropriada, redução do estresse e melhora da qualidade do sono. Em alguns casos, é preciso reposição de vitaminas, nutrientes e de hormônios”, explica.

Leia mais: 8 dicas para manter uma alimentação saudável durante o inverno

Foi pensando principalmente em quem tem como um dos objetivos de vida a longevidade e a manutenção do condicionamento físico e mental que o professor de educação física e ioga Paulo Junqueira desenvolveu o método de superioga, praticado por pessoas de diversas faixas etárias.

Paulo atua na área desde 1991 e acredita que a grande procura da prática por alunos da terceira idade se deve a uma maior dinamização da atividade milenar, que foca na permanência de posturas simples, mas com mais intensidade, o que justifica o prefixo de “super“.

“A maioria dos meus alunos que possuem mais de cinquenta ou sessenta anos me procura para falar como a superioga melhorou a maneira como eles vivem e fazem suas atividades básicas, como conseguir abaixar para pegar um determinado objeto“, conta o professor.

Outro destaque da atividade que une os benefícios do ioga com o ritmo animado de uma aula de ginástica é a forma como Paulo incentiva seus alunos. Além dos saltos, as posições de pranchas e agachamentos foram incrementadas à prática do ioga convencional.

Enquanto os mantras indianos são colocados para tocar na sala, ele vai, aos poucos, dizendo palavras para inspirar os praticantes a superarem seus limites. Cada sessão é capaz de queimar 800 calorias, além de promover um momento de relaxamento no final.

Leia mais: Conheça Emma, o dispositivo que pode ajudar pessoas com Parkinson

Conforme há evolução do método, os estímulos e o grau de dificuldade dos movimentos aumentam. Além das aulas ministradas presencialmente em duas academias da capital paulista, você também pode praticar a atividade através do aplicativo BFFIT, ou acompanhar uma aula gratuita, geralmente ministrada sempre no segundo sábado do mês até dezembro, no Parque do Povo, em São Paulo.