Um passeio por Inhotim com a cantora Fernanda Takai

DVD "Na Medida do Impossível" foi gravado lá e cantora comenta suas obras contemporâneas favoritas do museu mineiro

“Perdi a conta de quantas vezes fui a Inhotim, que acaba de completar uma década. A primeira foi em 2007, um ano depois da abertura. Faço questão de levar parentes e amigos queridos para conhecer o instituto, que fica em Brumadinho, a 60 quilômetros de Belo Horizonte. Viro motorista, guia, fotógrafa… O espaço está em transformação contínua. Sempre há uma nova galeria para ver, uma escultura diferente a descobrir. São 140 hectares de área de visitação. Inhotim é um bom exemplo de como as pessoas podem se aproximar da arte contemporânea. Apreciá-la não é necessariamente entendê-la, mas estar aberto às percepções e sensações que ela provoca.”

Foi em Inhotim, nesse cenário noturno, que a cantora gravou seu novo DVD Foi em Inhotim, nesse cenário noturno, que a cantora gravou seu novo DVD

Foi em Inhotim, nesse cenário noturno, que a cantora gravou seu novo DVD (Beto Staino/)

Leia também: 5 museus para se casar

Público diverso

“Nos primeiros anos, o parque–museu era frequentado principalmente por curadores estrangeiros. Hoje, vemos famílias e amigos que muitas vezes não têm contato regular com a arte. É um programa ótimo para crianças, uma oportunidade incrível para desenvolver a sensibilidade delas. Minha filha, de 13 anos, sempre vai comigo. Lá, minha regra de ouro é: não passe  um dia apenas! Hospede-se em uma pousada e reserve três dias para conhecer tudo. Não tenha pressa, use sapatos confortáveis e deixe-se levar pela natureza e pelas obras. O passeio fará muito bem à sua alma.”

 True Rouge, de Tunga True Rouge, de Tunga

True Rouge, de Tunga (Daniela Paoliello/)

Imperdíveis

“Hoje, a obra de que mais gosto ali é a Tteia, de Lygia Pape. O encontro com ela impressiona muito: saímos da exuberância do parque por um percurso escuro e chegamos a uma luz delicada e à simetria do enorme volume etéreo, que parece flutuar. Também gosto demais do pavilhão da carioca Adriana Varejão. Da arquitetura, que desponta de longe e desafia a natureza com suas formas retas, às criações da artista em seu melhor momento.”

inhotim-lygia-pape Tteia, de Lygia Pape

Tteia, de Lygia Pape (Daniela Paolielo/)

Leia também: Belos jardins pelo mundo para você se inspirar

Texturas e luzes

“Uma visita obrigatória é a Galeria de Claudia Andujar. Em tempos de Instagram e de imagens instantâneas, a obra da fotógrafa suíça radicada no Brasil é uma verdadeira imersão. Meio escondido, o espaço tem muitos ambientes: paço e corredores com texturas e pergolados que, dependendo da hora do dia, projetam sombras, fazendo a gente mergulhar na vida dos índios amazônicos que ela retratou. Andujar conseguiu dialogar com eles e captar seu modo de viver e contar histórias com profundidade. Gosto também de Viewing Machine, do dinamarquês Olafur Eliasson, que usa a luz para confundir  um pouco a gente. Outros dois espaços incríveis são True Rouge e Psicoativa, ambos do grande Tunga (artista pernambucano que morreu em junho deste ano).”

Galeria Claudia Andujar Galeria Claudia Andujar

Galeria Claudia Andujar (William Gomes/)

Noite Feliz

“Desde que conheço Inhotim, queria realizar algo lá. Em 2016, quando o instituto ficou aberto ao público para visitação noturna pela primeira vez, gravei o DVD do meu mais recente disco-solo, Na Medida do Impossível, que será lançado em 2017. A ideia era construir uma instalação sonora. O palco baixo interferiu o mínimo possível na natureza exuberante do parque. Na mesma noite, teve início uma série de homenagens a Tunga. Foi uma experiência única e inesquecível. Depois de tantas idas a Inhotim, tenho certeza de que ainda não vi tudo. Quem sabe a gente se encontra por uma daquelas trilhas?”

De Lama Lâmina, do americano Matthew Barney De Lama Lâmina, do americano Matthew Barney

De Lama Lâmina, do americano Matthew Barney (Pedro Motta/)

Para visitar

Inhotim está aberto de terça a sexta, das 9h30 às 16h30; sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30.
Valor dos ingressos: 25 reais (terças e quintas) e 40 reais nos outros dias, exceto às quartas, quando a visitação é gratuita.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Gustavo Woltmann

    Que lindo lugar! Gosto muito da obra da cantora, com canções diferenciadas e uma voz bem suave.