Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Por causa da pandemia, João de Deus ganha direito de prisão domiciliar

A decisão segue a recomendação do Conselho Nacional de Justiça para revisão de prisões preventivas e provisórias diante da pandemia de coronavírus

Por Da Redação - Atualizado em 31 mar 2020, 14h45 - Publicado em 30 mar 2020, 18h24

Condenado  a mais de 40 anos de prisão por crimes sexuais, João Teixeira de Faria, o João de Deus, teve prisão domiciliar concedida pela Justiça Federal. Aos 78 anos, ele está em um dos principais grupos de risco do novo coronanavírus e por isso a juíza Rosângela Rodrigues dos Santos, da Comarca de Abadiânia, em Goiás, concedeu a mudança, citando as más condições da cela  onde ele está há mais de um ano, com mofo e insalubre, que seria “propícia à disseminação da Covid-19“,  ela escreveu na decisão..

O pedido foi feito pelo advogado de defesa de João, Anderson Van Guarlberto, citou a saúde frágil do cliente, incluindo a remissão de câncer, hipertensão e problemas de coração para reforçar os riscos com a pandemia. Eles aguardam o alvará de soltura para fazer a transferência. Na prisão domiciliar, João de Deus segue sem posse de um passaporte, usando a tornozeleira eletrônica e proibido de frequentar a casa Dom Inácio de Loyola em Abadiânia, onde realizava sessões espirituais. Também está proibido de ter qualquer contato com vítimas e testemunhas dos processos de crimes sexuais, que tramitam contra ele em segredo na Justiça.

A decisão atende a recomendação do Conselho Nacional de Justiça para que os Judiciários e magistrados de todo o país revejam as prisões preventivas e provisórias diante da pandemia de coronavírus.

O Ministério Público vai recorrer da decisão.

Continua após a publicidade
Publicidade