Sogra de Rafael Miguel quebra o silêncio: “Foram 21 anos de violência”

Vanessa Tibcherani, mãe de Isabela, relatou os abusos que recebia de João Paulo Cupertino, acusado pelo assassinato do ator e dos pais dele

Vanessa Tibcherani, mãe de Isabela Tibcherani, namorada do ator Rafael Miguel, morto no domingo (9) juntamente com os pais, rompeu o silêncio sobre o caso. Em entrevista ao Balanço Geral de quarta-feira (12), a mulher afirmou que foi vítima de violência doméstica por 21 anos.

Paulo Cupertino Matias, pai de Isabela, foi apontado pela polícia como autor do triplo homicídio e, segundo o relato da mulher, também batia na companheira.

Vanessa era amante de Matias e contou que, apesar dele manter outra família, o homem a impedia de se separar dele, tratando-a sempre com agressividade. “Foram 21 anos de violência. Nariz quebrado, costela. Eu tenho cicatrizes no corpo, na alma”, desabafou.

Ao contrário do que Isabela havia afirmado, Vanessa explica que não está do lado do suspeito e que deseja que a justiça seja feita. “Ele sempre foi ruim, mas fazer uma crueldade dessa? Quero que ele se entregue ou seja preso. Espero que a justiça seja feita”, afirmou. “Eu não apoio o que ele fez… Nada!”, completou a mãe.

Confira a entrevista na íntegra:

Entenda o caso

O ator Rafael Miguel, que interpretou o Paçoca de “Chiquititas“, morreu no domingo (9) aos 22 anos, assassinado juntamente com seus pais.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, Rafael, acompanhado dos pais João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, estava dando uma carona a Isabela, de 18 anos, até sua casa. Ao chegarem, Paulo se aproximou e matou os três.

Em depoimento na segunda-feira (10), Isabela contou que o pai tinha uma arma em casa há anos. Ela também afirmou que ele descobriu seu namoro com Rafael através de mensagens trocadas entre o casal em 2018 e proibiu o relacionamento, alegando que o ator “não era uma pessoa de bem”.

A mãe de Rafael abraçou o filho caído no chão, para tentar protegê-lo, e então também foi atingida e morta. Antes de fugir, o acusado, Paulo Cupertino, também matou o pai de Rafael.

O atirador está foragido desde o domingo, mas a polícia localizou na última terça (11) o carro que teria sido usado na fuga. O veículo é clonado e foi encontrado a cerca de 21 quilômetros do local do crime.

Vote e escolha as vencedoras do Prêmio CLAUDIA