Laudo aponta causa da morte do modelo Tales Cotta

O jovem de 25 anos desfilava na SPFW quando caiu na passarela e morreu

O modelo Tales Cotta morreu em decorrência de uma doença do coração não diagnosticada em vida, o que provocou um edema pulmonar agudo. Essa é a causa mais provável do óbito, segundo laudo necroscópico. Ele faleceu enquanto desfilava na 47ª São Paulo Fashion Week (SPFW) no dia 27 de abril. 

O documento descarta a presença de drogas e álcool no organismo do jovem, que tinha 25 anos. O laudo será encaminhado ao 91º Distrito Policial (DP) para ser anexado ao inquérito que investiga a morte.

Tales sofria de uma cardiopatia que talvez nem soubesse que possuísse, diz o exame feito pelo IML. Trata-se de um nome genérico utilizado para denominar algum problema cardíaco.

“Descartada a hipótese de intoxicação exógena aguda (vide resultado do exame toxicológico acima) e que a causa da morte não pode ser estabelecida, esta, provavelmente ocorreu devido a um edema agudo pulmonar secundário a uma cardiopatia prévia não diagnosticada”, informa trecho do laudo.

Natural de Manhuaçu, município no interior de Minas Gerais, a 290 quilômetros de Belo Horizonte, o modelo começou a trabalhar com a Base MGT, agência de modelos e atores de São Paulo, em setembro de 2018. No site da agência, ele é descrito como um modelo de “olhos verdes e cabelo platinado”. Tales era modelo desde os 18 anos e fez faculdade de Educação Física na UFES (Universidade Federal do Espírito Santo).

+ Quem era o modelo que morreu na SPFW