Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Uma má entrevista de Reese Witherspoon mudou o jogo em Hollywood

Irritada com uma matéria sobre ela, a atriz resolveu mudar o rumo das coisas e deu muito certo

Por Da Redação - 18 mar 2020, 09h00

Se tem um nome feminino forte hoje em Hollywood, dentro e fora das telas é o de Reese Witherspoon. Na melhor forma de sua personagem Elle Woods, de Legalmente Loira, a talentosa atriz provou que não apenas é inteligente, mas que é firme nos negócios. E sua última briga começou depois de levar uma lavada em uma matéria sobre as diferenças salariais na capital do cinema.

Tudo começou com uma matéria da New Yorker Magazine em 2012, que a chamou de washed up, se referindo à atitude subjugada da atriz de não entrar na briga pela igualdade de salários abertamente. Witherspoon ficou muito irritada com a matéria, mas decidiu dar a resposta com seu trabalho.

Na época ela estava com 36 anos e vivia a ‘praga dos 40 anos’ de Hollywood: raramente uma atriz com menos de 30 ganha papéis de destaque e passa por um hiato de quase 20 anos até retornar… como avó ou mãe de estrelas mais jovens. Quase todas as atrizes passaram por isso, inclusive Meryl Streep. Witherspoon está mudando esse jogo.

Primeiro, se os papéis não vinham, ela passou a criá-los. Ela montou uma produtora  com o objetivo de encontrar trabalho para si mesma, mas também para outras atrizes e – de qualquer idade – como ela gosta de ressaltar. Além disso, brigou por mais mulheres na cadeira de direção e não aceitando velhos costumes machistas no set de filmagem.

“Me lembro de estar em filmes em que eu era a única mulher no set e tinham 150 homens. Com sorte teriam duas mulheres no departamento de figurino”, ela conta à Vanity Fair. “Lembro que eu era apenas uma menina e colava nelas”, diz.

Continua após a publicidade

A persistência de Witherspoon já rende frutos. Foi com sua amiga Nicole Kidman que conseguiu lançar a série feminina de maior sucesso nos últimos anos, Big Little Lies. Além da qualidade do conteúdo, a importância da produção foi dar crédito e voz às atrizes que foram essenciais para que o projeto fosse realizado. E mais do que isso, que os salários estivessem equiparados aos dos homens. Para isso, ela recomenda a transparência entre as mulheres sobre os valores que recebem para, nas palavras de Witherspoon, “manter Hollywood honesta” quando discutem valores.

Hoje Witherspoon já é vista como heroína por colegas.

“Uma atriz me parou em uma festa e disse: ‘Sabe o que você fez?” e eu não tinha idéia do que estava falando. “A HBO chamou meu empresário para reescrever meu contrato. Eu passei a ganhar o dobro que recebia antes”, ela conta.

É um começo!

 

Continua após a publicidade
Publicidade