Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Mara Wilson, de “Matilda”, diz ter sido sexualizada quando criança

"Como Britney Spears, fui sexualizada quando criança", revela a ex-atriz em artigo publicado no The New York Times como desabafo

Por Da Redação 26 fev 2021, 14h18

Mara Wilson, a ex-estrela infantil que interpretou Matilda nos anos 90, expressou sua solidariedade à cantora Britney Spears, contando através de um texto que escreveu como sua figura foi sexualizada pelo público e pela mídia quando ainda era criança.

No texto, que foi publicado no The New York Times, Wilson diz que mesmo antes de completar 12 anos, já foi “inserida com Photoshop em pornografia infantil” e que costuma ver ela própria e Spears serem usadas como exemplos de estrelas infantis que trilharam “caminhos sombrios”.

O artigo, que é uma forma de mostrar que fatos semelhantes aos de Britney Spears ocorreram com outras famosas, foi publicado algumas semanas após o lançamento do documentário “Framing Britney Spears”, que observa os efeitos da fama e das polêmicas geradas pelo controle da carreira por seu pai.

Wilson, agora com 33 anos, se aposentou da carreira de famosa quando entrou na adolescência, pois não queria seguir o caminho da maioria das atrizes mirins que seguem na profissão, se expondo em vídeos sensuais e revistas masculinas.

“Nossa cultura constrói essas meninas apenas para destruí-las”, escreve ela no texto. “De qualquer forma, eu já tinha sido sexualizada e odiava isso.”

Mara, que além de “Matilda” estrelou em “Uma babá quase perfeita”, conta que em seus filmes, quando criança, “ela nunca aparecia em nada além de um vestido de verão na altura dos joelhos”, o que era uma exigência de seus pais para que sua imagem estivesse segura. No entanto, mesmo esses requisitos não impediram que sua imagem fosse sexualizada e que ela fosse alvo de perguntas e comentários inapropriados para sua idade de 6 anos na época.

Continua após a publicidade

“Os repórteres me perguntavam quem eu considerava o ator mais sexy ou sobre a prisão de Hugh Grant por contratar uma prostituta.”

“Era lindo quando crianças de 10 anos me enviavam cartas dizendo que estavam apaixonadas por mim. Mas não quando homens de 50 anos faziam isso. Mesmo antes dos 12 anos, havia fotos minhas em sites de fetiche por pés. Eu fui inserida com Photoshop em pornografia infantil. Todas essas vezes, eu me senti envergonhada”, escreve a ex-estrela infantil.

“Hollywood decidiu agora abordar o assédio que existe na indústria, mas nunca fui assediada sexualmente em um set de filmagem. Meu assédio sexual sempre aconteceu nas mãos da mídia e do público.”

“Muitos momentos da vida de Spears me são familiares”, escreve Wilson. “Nós duas tínhamos bonecas feitas com nossas imagens, tínhamos amigos íntimos e namorados que compartilhavam nossos segredos e homens adultos que comentavam sobre nossos corpos.”

O lançamento do documentário “Framing Britney Spears” além da manifestação de Mara Wilson, também já incentivou o pronunciamento de pedidos de desculpas de indivíduos envolvidos com a história de Britney, como o cantor e ator Justin Timberlake e veículos de comunicação.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade