CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Quanto vai custar assinar o Disney+ no Brasil

O serviço, que está disponível nos EUA há um ano, chega à América Latina nesta terça-feira dia 17 de novembro

Por Da Redação Atualizado em 17 nov 2020, 10h04 - Publicado em 3 nov 2020, 14h37

O Disney+, serviço de streaming da Disney, chega à América Latina nesta terça-feira, dia 17 de novembro. O site oficial da plataforma revelou os preços do serviço no Brasil: a assinatura anual vai custar R$ 279,90. O plano mensal tem valor R$ 27,90.

Quem assinar o Disney+ poderá utilizar o serviço simultaneamente em até quatro dispositivos. Há também a opção de testar a plataforma por sete dias de forma gratuita antes de fechar um plano.

View this post on Instagram

A post shared by Disney+ Brasil (@disneyplusbr)

O Disney+, que reúne produções da Disney, Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic, foi lançado nos Estados Unidos e Canadá em novembro de 2019. A Europa recebeu o serviço em março deste ano. Nesses outros países, o catálogo começou com poucos filmes e séries, mas, no Brasil, a plataforma já chega com vários títulos disponíveis.

Além de animações e filmes clássicos da Disney, o Disney+ oferecerá séries inéditas como The Mandalorian, que se passa no universo de Star Wars, Sobrevoando, narrada por Rodrigo Santoro, e Bis!. O álbum visual Black is King, de Beyoncé, que foi lançado exclusivamente na plataforma em julho, também ficará finalmente disponível para os fãs brasileiros.

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

A post shared by Disney+ Brasil (@disneyplusbr)

Além das produções originais, o Disney+ conta com live-actions exclusivas, como A Dama e o Vagabundo e Mulan, que inicialmente seria lançado nos cinemas, mas acabou estreando na plataforma em setembro. O filme se tornou um dos assuntos mais comentados da internet nos dias seguintes à sua estreia e, agora, estará disponível para o público brasileiro.

View this post on Instagram

A post shared by Disney+ Brasil (@disneyplusbr)

  • Estou com câncer de mama. E agora?

    Continua após a publicidade
    Publicidade