CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Colágeno para pele: tomar ou não tomar?

"A dieta do indivíduo é fundamental para a formação de colágeno, pois sua produção depende de macronutrientes", diz Denise Steiner

Por Denise Steiner Atualizado em 20 jan 2022, 12h34 - Publicado em 20 jan 2022, 13h00

O colágeno é a proteína mais importante do nosso organismo e muito relevante para a tonicidade da pele. As fibras de colágeno, em conjunto com as fibras elásticas, formam a matriz cutânea localizada na parte intermediária da pele denominada derme.

Além disso, o colágeno também faz parte da parede dos vasos sanguíneos, dando flexibilidade aos mesmos e, portanto, a capacidade fisiológica de contrair e dilatar conforme a necessidade do organismo.

Veja também: Sancionada, lei cria estatuto que garante direitos de pessoas com câncer

Como funciona a produção de colágeno no organismo?

O ser humano tem uma capacidade de produzir colágeno através de uma célula chamada fibroblasto. Com o passar do tempo, já na terceira década de vida, a produção natural de colágeno começa a diminuir, levando à flacidez da pele.

A capacidade maior ou menor de produzir colágeno depende da idade, mas também da genética individual, da alimentação, da existência de doenças prévias e também dos hábitos diários como exposição solar e tipo de ocupação.

Os maiores inimigos do colágeno

O sol, sem a devida proteção, destrói as fibras de colágeno e elastina através da luz UVB que atinge o DNA celular e da luz UVA que produz oxidação intensa e radicais livres. Além disso, a dieta do indivíduo é fundamental para a formação de colágeno, pois sua produção depende de macronutrientes, como as proteínas, e micronutrientes, como silício e vitamina C, entre outros.

Continua após a publicidade

Já quem é vegano ou vegetariano tem que estar atento à ingestão de proteínas, que são alimentos construtores e necessários para a formação das fibras de colágeno. A ingestão do colágeno hidrolisado específico para a pele não substitui uma alimentação equilibrada e saudável, mas ajuda a estimular a formação de mais proteína.

Tomar ou não tomar colágeno?

Alguns anos atrás se falou muito sobre a ingestão de colágeno. No entanto, naquele tempo essa molécula de colágeno era uma macromolécula que, devido ao tamanho, tinha pouca capacidade de ser absorvida. O colágeno que está nos produtos atuais é hidrolisado, que significa partido em pedacinhos que são absorvidos e atingem a pele onde ajudam a estimular a produção de colágeno.

Estudos científicos atuais demonstram que esses peptídeos de colágeno são absorvidos pelo intestino, chegam na pele e estimulam maior fabricação de colágeno. Existem tipos de colágeno hidrolisado com peptídeos variados como: peptan ou verisol. Além disso também existem produtos comerciais que associam vitaminas e outros micronutrientes a esse produto.

O colágeno hidrolisado pode e deve ser ingerido com a indicação de maior produção de colágeno como um elemento nutricional. A ingestão de um sachê ou 4 a 6 cápsulas por dia não realiza um milagre, mas sim uma ajuda na otimização da produção dessa proteína tão importante para o organismo.

Converse com seu médico sobre as doses adequadas para o seu caso e mantenha uma dieta saudável e equilibrada.

Cuide-se.

Continua após a publicidade

Publicidade