Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Aclamado diretor de comédias, Carl Reiner, morre aos 98 anos

Estrelas lamentam a morte de um dos ícones do riso, que trabalhou com os melhores comediantes americanos

Por Da Redação - 30 jun 2020, 15h31

Ele trabalhou com o melhores e era considerado um gênio. O diretor, roteirista, produtor e ator, Carl Reiner, faleceu nesta segunda (29) nos Estados Unidos, aos 98 anos. A notícia foi divulgada pelos eu filho, o igualmente respeitado diretor, Rob Reiner. “Papai faleceu noite passada. Meu coração dói enquanto escrevo isso. Ele era a milha estrela-guia”, Rob (diretor de Harry e Sally) escreveu no twitter.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Segundo a família, a morte foi por causas naturais. Ele estava em casa, em Beverly Hills. Carl era ativo nas redes sociais e escreveu um post três dias antes de sua morte. “Nada me deixa mais feliz do que saber que vivi a melhor vida possível e que encontrei e me casei com Estelle (Stella) Lebost — que partilhou comigo trazer Rob, Annie e Lucas Reiner a esse necessitado e sempre em movimento mundo”, ele escreveu.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Nascido e criado em Nova York, Carl Reiner começou a trabalhar em TV no início dos anos 1950s. Era parceiro de Mel Brooks, e esteve à frente de clássicos da cultura americana, como The Dick Von Dycke Show, The Ed Sullivan Show e Mary Tyler Moore Show, para citar apenas alguns.

Sua morte impactou tremendamente Hollywood, com astros como George Clooney (com quem Carl trabalhou nos três filmes do Ocean Eleven), Steve Martin (que foi dirigido por Carl no genial Cliente Morto Não Paga), George Takei e Bette Midler fazendo homenagens nas redes sociais.  “Ele ensinou a América rir”, disse o governador de Nova York, Andrew Cuomo.

O filho de Mel Brooks, melhor amigo de Carl, postou hoje (30) uma homenagem à família. “Eu o conheci minha vida inteira e não consigo imaginar um mundo sem ele. Uma perda para mim, uma perda para minha família e uma perda para todos nós”, escreveu.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Publicidade