Animais mortos eram congelados em clínica para prolongar internação

Além disso, a empresa é suspeita de vender remédios proibidos, sonegar impostos e por lavagem de dinheiro

Uma clínica veterinária, a Animed, é acusada de congelar animais mortos para que os donos continuassem pagando pela internação, em Nova Lima, Belo Horizonte (MG). O dono do local, Marcelo Dayrell, foi preso nesta sexta-feira (22).

Segundo o delegado Bruno Tasca Cabral, o estabelecimento é alvo de uma operação da Polícia Civil por maus-tratos, além de outros crimes como estelionato, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Não perca o que está bombando nas redes sociais

De acordo com a investigação, a clínica congelava o animal, quando ele morria, e não avisava ao dono sobre a morte para continuar cobrando pela internação. Os animais ficavam congelados por mais de uma semana. Quando o dono era finalmente avisado, eles descongelavam o corpo e aplicavam uma injeção para retomar a condição do corpo, simulando que a morte era recente.

Além disso, a clínica é suspeita de vender remédios proibidos, aplicar medicamentos de humanos em animais e reaproveitar próteses que eram retiradas de animais mortos.

A polícia também tenta localizar a mulher de Dayrell, a veterinária Franciele Fernanda Quirino dos Santos. Segundo a Polícia Civil, ela não foi encontrada em casa nem na clínica e já pode ser considerada foragida. O marido diz que a esposa está viajando.

A assessoria de imprensa da Animed afirma, em nota, que a empresa está surpresa com a operação e que se pronunciará após análise das denúncias. Eles se colocam à disposição da Justiça para esclarecer os fatos e cooperar no que for preciso com a investigação.

Leia também: Mãe e filha são assaltadas na porta de pet shop e ladrões levam cachorros

+ Jovem cria cadeira de rodas de bambu para pets

PODCAST – Por que não sinto vontade de transar?