Como tratar leucodermia pontuada, a sarda branca

Um novo tratamento promete acabar com as lesões, que não são graves e nem contagiosas

Talvez você já tenha percebido que apresenta manchas brancas pequenas e arredondadas nos braços e pernas. Essas lesões, que são acrômicas e assintomáticas, são chamadas de leucodermia pontuada ou, popularmente, de sarda branca. Elas não são contagiosas e não apresentam nenhum risco para o portador.

O aparecimento das sardas brancas está associado à exposição solar e, por esse motivo, elas aparecem mais nas áreas mais afetadas pelo Sol. As lesões podem ser prevenidas com o uso de filtro solar diariamente e hidratação.

O tratamento da leucodermia pontuada pode ser feito com nitrogênio líquido ou dermoabrasão muito leve. Apesar de comuns, esses tratamentos têm pouca eficácia e geralmente não trazem os resultados esperados pelos pacientes, causando frustração.

Agora, um novo tratamento visando melhorar a aparência das sardas brancas chegou ao mercado. O MMP® está trazendo resultados muito mais promissores que os antigos tratamentos disponíveis.

Ele utiliza uma máquina similar a de fazer tatuagem, que tem uma ponteira com agulhas. Essas agulhas aspiram o medicamento 5-fluorouracil e o aplicam na região da mancha. A máquina, quando ligada, vibra e aspira o medicamento, que em seguida é injetado na pele com penetração superficial e somente na lesão.

O tratamento com MMP® é ligeiramente doloroso, mas a vibração é rápida e pode abordar dezenas de lesões no mesmo dia. A pele fica machucada por 3-4 dias, mas não há formação de crostas.

São necessárias cerca de 2 a 3 sessões para o tratamento completo, com intervalo mensal. É possível tomar sol em pequenas quantidades durante o tratamento, pois a luz ajuda na pigmentação das manchas.

O resultado é bom e bem superior aos resultados conseguidos com os tratamentos anteriores.

Leia mais: Uso da toxina botulínica para o tratamento de cicatrizes

PODCAST De onde tirar forças para enfrentar a dor