Os motivos pelos quais usar filtro solar é essencial para a saúde da pele

Durante o verão, o produto é importante para prevenir o câncer de pele

Durante o verão são importantes ações para prevenir o câncer de pele – o sol é o estímulo externo mais relacionado ao aparecimento da doença. O dano causado pela luz solar ao longo da vida é, de fato, cumulativo. Dessa forma, vai deixando defeitos no “coração” das células que, mais tarde, ao se multiplicarem, causam a doença. Por isso, uma das formas mais eficientes de prevenir o surgimento da doença é utilizando filtro solar.

Existem pessoas com maior risco de câncer de pele, que são aquelas com pele, olhos e cabelos claros, assim como as que têm sardas, as que ficam muito vermelhas pela exposição e quem já teve casos da doença na família. É importante proteger a pele do sol não só com filtro, mas com sombra, chapéu, óculos e até roupa com filtro solar. O filtro solar deve ser passado todos os dias, especialmente por quem trabalha ou tem lazer ao ar livre.

Tipos de filtro solar

Existem dois tipos de filtro: o químico e o físico. O químico tem uma molécula que se combina com a luz e transforma a radiação em calor. O físico não interage com a luz e a reflete. Este segundo é mais potente, mas suas fórmulas deixam a pele muito branca. O filtro em geral tem combinações de filtro físico e químico para darem melhor cobertura e proteção.

O filtro solar precisa necessariamente proteger da luz UVB, que é a mais agressiva e provoca câncer de pele. Quando o filtro tem a sigla FPS significa um fator de proteção solar para UVB. É importante que o filtro também proteja da radiação UVA, que é mais profunda, agride vasos, células e colágeno e contribui para o câncer de pele. Para sabermos se há proteção para UVA devemos procurar essa informação na bula que pode estar especificada de duas maneiras: Proteção UVA ou PPD (Persistent Pigment Darkening, que em livre tradução seria “Escurecimento Persistente do Pigmento”).

Leia também: Acne: como combater o problema em mulheres adultas

Trabalhos científicos mais recentes mostraram que a luz visível mancha a pele principalmente de pessoas mais morenas. Sendo assim, é importante que o filtro tenha proteção para luz visível. A maioria dos filtros não protege a pele da luz visível, sendo que somente protetores com cor têm essa capacidade. Se a pessoa for portadora de melasma, ela precisa usar filtro com pigmento para ter maior proteção.

O filtro deve ser bem espalhado de forma homogênea em todo o corpo sem esquecer nenhuma área da pele e a ação deve ser repetida a cada 3 horas. Cuide bem da sua pele!

Toxina botulínica: o que você precisa saber sobre o uso da substância

Siga CLAUDIA no Instagram.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
Aceito receber ocasionalmente ofertas especiais e de outros produtos e serviços do Grupo Abril.
Política de Privacidade