CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS
Publicidade
Crônicas de Mãe Por Ana Carolina Coelho. Feminista, mãe, escritora, poeta, dançarina, plantadora de árvores, pesquisadora e professora universitária
A colunista Ana Carolina Coelho revisita um trauma de adolescência para refletir sobre o direito de todes de existir
'As maternidades são verdadeiras 'manteigas voadoras': selvagens, potentes e resistentes a quaisquer intempéries da vida", reflete Ana Coelho
"Sentir faz parte de nossas histórias e lembranças e de quem nos tornamos como mulheres/mães", escreve a colunista Ana Carolina Coelho
A colunista Ana Carolina Coelho aborda o enfrentamento coletivo dos medos e inseguranças provenientes de uma grande mudança
Para a colunista Ana Carolina Coelho, os filhos passaram a ter uma outra relação com os sentimentos durante a pandemia
Ana Carolina Coelho reflete sobre as diferenças entre as gerações e os encontros possíveis de um "amaternar" honesto. "Somos todas Filhas das Mães", diz
A pergunta serviu como um convite para a colunista refletir sobre a educação da filha e valores importantes como a diversidade
"Apoiar uma mãe recém-nascida é entender que ela muitas vezes não tem a menor ideia do que está fazendo ou sentindo", diz a colunista Ana Carolina
"É preciso urgentemente que nós, mães, reclamemos nossos espaços no mundo, como seres humanos dignas de direitos", diz a colunista Ana Carolina Coelho
A colunista descreve nesta crônica a necessidade de ter empatia com as diferentes formas de ser mãe, até porque a maternidade é plural
Que tal substituir todas as orientações da rotina da casa pelo silêncio? A colunista Ana Carolina reflete sobre a figura da mulher na administração do lar
A colunista Ana Carolina Coelho fala sobre o efeito emocional do coronavírus nas crianças
A colunista Ana Carolina Coelho revela como a experiência do luto na pandemia trouxe memórias da sua infância e impactou à sua rotina atual
Após ser questionada por chorar em frente suas filhas, a colunista Ana Carolina Coelho reflete sobre como expressar emoções em família compõe o "amaternar"
"Eu vi minha filha deitar no chão do quarto e olhar o teto sem vontade de levantar", escreve Ana Carolina Coelho
A colunista Ana Carolina Coelho reflete sobre o malabarismo de demandas, como o maternar, realizar tarefas domésticas e mergulhar nas pesquisas
Descobri o óbvio com a experiência: a criança é apenas uma promessa enquanto não é real
Amaternando o Viver: conheço diversas histórias de situações em que a pessoa era uma completa desconhecida, mas fez questão de “dar sua opinião”
Amar é ato contínuo e, portanto, ação e trabalho. Tudo na vida é trabalho e sentimentos só têm força se forem verbos, ou seja, onde há a prática do amar
A vida adulta já nos castigou o suficiente em 2020. Festejar o Natal é um ato de coragem e resistência
Publicidade