Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Banhos, chás e mandalas com plantas para a prosperidade em 2017

Entenda o que é e como a terapia holística fitoenergética pode ajudar a atrair boas energias para o próximo ano.

Por Gabriela Kimura - Atualizado em 20 jan 2020, 23h46 - Publicado em 28 dez 2016, 12h45

No fim de ano, todo mundo gosta de um pouquinho de ~misticismo~ para tentar entender o que pode acontecer no ano seguinte. Com a ajuda da Astrologia, do Tarot, do Horóscopo Chinês, das Runas e até mesmo da Numerologia, buscamos algumas dicas sobre o que será nosso próximo ano – e porque não experimentar outras receitas naturais para se abrir para o que o universo nos guarda?

Bem, pensando nisso, os autores do livro Manual de Magia com as Ervas, da Luz da Serra Editora, Bruno Gimenes e Patrícia Cândido ensinam algumas receitas consagradas, utilizando-se da fitoenergética para atrair prosperidade em 2017.

O que é a Fitoenergética?

De acordo com os estudos realizados por Bruno e Patrícia, é um sistema de cura e equilíbrio natural, que oferece às pessoas uma ferramenta eficiente e acessível contra todas as doenças, indo além dos campos da medicina tradicional.

Basicamente, é uma terapia alternativa que conta com 118 plantas estudadas e catalogadas pelos autores, que ajudam no equilíbrio das emoções e pensamentos. “Nosso corpo é feito essencialmente de energia, assim como tudo o que existe no nosso planeta, e essa compreensão do corpo vem sendo trabalhada ao longo de milhares de anos, especialmente pelos povos orientais”, explica Patrícia, sobre as doenças serem originadas por sentimentos em desequilíbrio.

Como a Fitoenergética, assim como as outras terapias holísticas, entendem o organismo como um todo, elas podem ser utilizadas junto com os tratamentos com remédios alopáticos. Segundo Patrícia, toda energia que desvia as pessoas do caminho da felicidade é negativa e deverá, invariavelmente, gerar doenças. “O ser humano veio à Terra para ser feliz e expressar sua beleza, ou seja, sentir amor, desenvolver sua criatividade e exprimir sentimentos superiores que estão de acordo com sua matriz essencial”, resume.

Para Bruno, é preciso entender diferentes conceitos da ciência sobre os estudos do campo holístico. “A física quântica já comprovou que todo pensamento gera uma emoção, portanto é possível dizer que o pensamento negativo gera emoção negativa”, explica.

Além disso, o estudo da bioeletrografia, técnica que mede, por meio de imagens, a energia que as plantas emanam – bem como outros seres vivos -, também é um complemento para compreender a terapia. “O que a Fitoenergética faz é ativar o princípio energético das plantas, que passam a agir em prol do equilíbrio da energia dos chacras, e com isso atuam na verdadeira origem da doença”.

>> Horóscopo Chinês: o que 2017 reserva para seu signo

>> Astrologia: como será 2017 de acordo com o zodíaco

Os chacras e a energia

O corpo humano é feito essencialmente de energia, em um sistema complexo no qual tudo está interligado. “Existem centros de energia em todo o nosso corpo, mas consideramos os sete principais pontos, chamados de chacras”, destaca Patrícia. “Cada um de nós possui sete chacras principais, que começam na região do períneo indo até o topo da cabeça, sendo que cada chacra está relacionado a uma das principais glândulas endócrinas do corpo.”

As glândulas que produzem as substâncias que são lançadas na corrente sanguínea também mantém a saúde e equilíbrio das energias, por isso cada sentimento negativo afeta diferentes chacras – e, consequentemente, problemas de saúdes distintos.

Por isso, Bruno afirma que é necessário entender o que se passa com os consultantes, olhar para o todo. “Eles devem olhar para tudo o que envolve um determinado problema de saúde ou os sentimentos que mais afligem a pessoa.” Por isso, é preciso analisar cada caso. “A Fitoenergética não trabalha com a ideia de preestabelecer plantas específicas para cada problema, já que cada ser humano precisa trabalhar diferentes chacras em ordens e intensidades diferentes”, resume Patrícia.

Tratar a pessoa, não a doença

Para os autores do livro, a fitoenergética não é o tratamento de uma doença específica, mas a pessoa que a apresenta. “O terapeuta holístico deve conversar e compreender mais do que apenas as dores ou os problemas de saúde específicos”, explica Patrícia.

E ela alerta para a importância de tratar as doenças com foco na causa, mais que na consequência. “Somente após mergulhar profundamente na sabedoria do Reino Vegetal, compreendemos a terapia da energia sutil das plantas para equilíbrio da alma nos aspectos físico, emocional, mental e espiritual.”

Os especialistas ressaltam que existem quatro tipos diferentes de vegetais, baseados na maneira como ocorrem suas manifestações energéticas. “Um tratamento fitoenergético precisa desses quatro tipos de plantas, por isso dificilmente serão utilizados menos de quatro plantas no tratamento. Com base no caráter energético dos vegetais, eles são classificados como Puros, Niveladores, Condutores ou Físicos”, explica Bruno.

>> A Numerologia e a previsão para 2017

>> Runas: conheça as pedras vikings e suas previsões

O vegetal puro é aquele que atua com mais afinidade diretamente em um chacra. “Cada chacra em desequilíbrio que for identificado deve ter um vegetal puro para atuar no seu equilíbrio”, pontua Bruno.

Os vegetais niveladores buscam justamente evitar efeitos opostos da energia de um chacra, ou seja, servem como um pano de fundo para equilibrar a atuação do vegetal puro. “Quando se faz algo no campo de energia com um vegetal puro, é preciso utilizar outro que seja nivelador para manter o equilíbrio dessas energias”, explica Patrícia, que destaca que o uso apenas de vegetais puros pode até gerar um efeito colateral no corpo energético. “O vegetal nivelador evita choques de energia que podem acontecer no caso de se utilizar vegetais puros apenas”. Por isso utiliza-se apenas uma planta niveladora por tratamento.

“Os vegetais condutores são os que conduzem a energia até o ponto da cura e os únicos que alcançam todos os chacras, abrindo os registros da alma para os vegetais puros atuarem nos específicos”, resume Bruno.

Continua após a publicidade

E o quarto tipo, os vegetais físicos, são aqueles que atuam diretamente nas doenças de nível físico. “Eles não atuam contra a verdadeira causa, mas em função de reduzir dores por exemplo, ou qualquer situação em que a doença atingiu o nível físico”, explica Patrícia. Ela ensina que há tratamentos em que os vegetais físicos sequer são necessários. “Se o objetivo é tratar algum problema emocional que ainda não atingiu o nível físico, eles não são necessários.”

Como utilizar as plantas

Ao contrário de terapias alternativas que utilizam chás tradicionais para tratar as doenças, a Fitoenergética não exige grandes quantidades de plantas e permite absorver a energia de formas muito variadas, indo além da bebida. “Como este sistema natural utiliza a energia e não o princípio ativo, é possível usar pouca quantidade de todas as plantas selecionadas pelo terapeuta”, explica Bruno.

Patrícia afirma que há diversas maneiras de aplicar a energia das plantas. “É possível fazer chás ou infusões a frio, de preferência em bule de louça ou vidro, sempre com folhas desidratadas ou frescas em pequena quantidade, mas também utilizar a água da infusão no banho, como compressa ou em forma de inalação.”

Os sachês com pequenas quantidades das plantas, carregados ao longo do dia no bolso, podem ter o mesmo efeito. “Aplicar as infusões no ambiente por meio de sprays também é um método que cada vez mais pessoas utilizam”, detalha.

Receitas Consagradas

Instruções:

  1. Faça exatamente conforme recomendado. Siga à risca as recomendações.
  2. Procure se concentrar ao fazer as práticas. Não divida atenção com outros afazeres, pois sua atenção focada é muito importante no processo.
  3. Quando os resultados surgirem, fique atento as intuições que você terá. Elas normalmente chamarão a sua atenção para mudanças de atitudes que você precisará promover.
  4. Jamais interrompa qualquer recomendação médica. A Fitoenergética é uma terapia natural e complementar.
  5. Não ache que apenas fazendo todas as Receitas Consagradas tudo vai mudar na sua vida automaticamente. As principais mudanças em nossas vidas vêm junto com novas atitudes. Fique atento a elas e associe as Consagradas com novos hábitos.
  6. Você precisa fazer ciclos completos. Você não terá efeitos plenos se não fizer os ciclos completos.
  7. Você pode usar qualquer parte da planta.
  8. Tanto faz se a planta for desidratada ou fresca. Apenas no caso do incenso precisa ser desidratada.

1. Banho de Ervas de Fim de Ano – Ritual da Prosperidade

Receita de banho energético para abrir caminhos.

Você vai precisar de:

  • Alfazema
  • Chá de Bugre
  • Ipê Roxo
  • Manjericão
  • Orégano
  • Pêssego

Modo de preparo

Aqueça um litro de água até começar a formar bolhas na água. Não deixe ferver. Apague o fogo e coloque todas as plantas. Jamais aqueça em micro-ondas.

Faça uma oração poderosa pessoal: primeiro, de agradecimento a sua vida e as suas bênçãos, em seguida pedindo a bênção de Deus, da natureza e dos seres de Luz para o seu preparado.

Agora mentalize que no seu preparado (imagine, sinta ou acredite) pulsam as luzes verde e prata. Imagine elas como se fosse um coração pulsando o verde e o prata. Quando o verde fica mais fraco, o prata fica mais forte e vice-versa.

Faça isso por 3 minutos e pronto. Se você preferir, pode filtrar ou coar o preparado, retirando as ervas que foram usadas.

Dica: faça uma vez por semana até a 1° semana de 2017 sempre no mesmo dia e no mesmo horário. Se você escolheu a sexta-feira, então, você fará o banho durante as próximas sextas-feiras.

2. Chá para tratar depressão, desânimo e emoções desequilibradas

Você vai precisar de:

  • Boldo do Chile
  • Canela
  • Hortelã
  • Ipê Roxo
  • Louro

Modo de preparo

Use uma pitada de ervas para uma xícara de chá. Não deixe a água ferver, apenas aqueça até começar a levantar bolhas e faça a imersão das ervas.

Não importa a hora que você toma, nem se todos os dias você toma na mesma hora. A única coisa que importa é que você tome duas vezes por dia e que dê um intervalo mínimo de 4 horas entre os usos. Lembre-se, faça o chá sempre que for usar, nunca reserve para depois!

Dica: faça durante 7 dias, 2 vezes ao dia. Beba o chá duas vezes por dia com intervalos de, no mínimo, 4 horas entre as aplicações. É importante fazer uma oração sobre o chá mentalizando a cura de suas emoções interiores antes de beber.

3. Mandala Fitoenergética – para tratar ambientes e relacionamentos

Você vai precisar de:

  • Açoita Cavalo
  • Alecrim
  • Alfazema
  • Chapéu de Couro
  • Pitangueira

Modo de preparo

Você pode montar a mandala da forma como preferir e utilizar a criatividade, sem esquecer de colocar todas as plantas. O ideal é que você tenha uma base redonda, a qual será o fundo da mandala para arrumar as plantas.

Monte e coloque no ambiente da sua casa ou trabalho, onde tem maior circulação de pessoas. Depois de montada, ative a sua mandala com uma oração, mentalizando que todos estão em harmonia e deixe nesse ambiente por 7 dias. Depois devolva as plantas para a natureza e, se desejar, monte uma nova mandala.

Continua após a publicidade
Publicidade