Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Cães e gatos também ficam deprimidos

Seu cachorro anda latindo demais? O gato resolveu fazer xixi fora da caixinha de areia? Esses sintomas podem estar ligados à depressão. Veja como agir

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 22h57 - Publicado em 4 jun 2013, 21h00

Se perceber algum comportamento diferente em seu animal de estimação, leve-o logo a um veterinário
Foto: Getty Images

Os animais precisam gastar energia, correr, brincar e passear com regularidade. A falta
dessas atividades pode provocar depressão. Ficar tempo demais sozinho, sentindo falta do dono, também deixa seu bicho triste.

Seu amigo de quatro patas é um gato? Esqueça a história de que eles são menos ligados aos donos que os cães. Bichanos suportam ficar sozinhos por mais tempo, mas precisam de atenção do mesmo jeito.

Quais são os sintomas?

Cães: latem alto e sem parar, ficam mais agitados e, às vezes, chegam a comer as próprias fezes, o que também pode ser sintoma de uma verminose.

Gatos: demarcam tudo fazendo xixi em vários cantos da casa, ficam se lambendo o tempo inteiro e se escondem dentro de caixas e móveis.

Continua após a publicidade

Pássaros: arrancam as próprias penas e ficam inquietos na gaiola.

Dá para tratar?

Em alguns casos, é preciso usar antidepressivos ou calmantes, mas, na maioria das vezes, basta criar uma rotina de atividades para animar o bicho. Vale brincar de esconder petiscos pela casa, sair para passear e, claro, dar muito carinho.

O que eu fiz de errado?

O importante não é se culpar, mas pensar numa maneira de passar mais tempo com seu animal de estimação. Se você trabalha fora, deve acostumar o bichinho desde filhote à sua ausência. Quem fica horas demais longe de casa pode pedir para um vizinho brincar com o cachorro por alguns minutos durante o dia. Contratar alguém para passear
com o amigão também é uma boa ideia.

Se perceber algum comportamento diferente em seu animal de estimação, leve-o logo a um veterinário. Só esse especialista é capaz de avaliar o que pode estar ocorrendo e receitar, quando for necessário, o remédio mais indicado para cada caso. 

Continua após a publicidade
Publicidade