Maria Júlia Coutinho, do JN, é alvo de racismo nas redes sociais

Jornalista da Globo é atacada com insultos preconceituosos

A jornalista Maria Júlia Coutinho, que integra o quadro do Jornal Nacional da Rede Globo, foi alvo de racismo em uma foto publicada pela página oficial do programa no Facebook. A imagem ilustrava a previsão do tempo, apresentada por ela, e os internautas destilaram preconceito nos comentários.

Reprodução/Facebook Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook (/)

Já outros usuários da mesma rede social publicaram mensagens de apoio à Maju e de repúdio aos trechos de ódio. Um deles, inclusive, garantiu que salvou os recados para tomar medidas legais posteriores.

No twitter, mais xingamentos. Dessa vez, em resposta, Maria Júlia mandou um “beijinho no ombro” – em referência à música da cantora Valesca, sobre ignorar opiniões negativas.

Denúncia de racismo na internet

Hoje em dia, é possível denunciar crimes praticados na internet nas Delegacias de Cibercrimes. A ONG SaferNet  Brasil é uma entidade referência nacional no enfrentamento de violações aos Direitos Humanos na rede; com acordos de cooperação firmados com instituições governamentais, como o Ministério Público Federal. No site é possível encontrar a relação de delegacias por Estado. As denúncias também podem ser feitas na Polícia Federal.

Acreditamos que tal postura, tanto na internet quanto em qualquer outro ambiente, é extremamente ofensiva e inadmissível. O racismo e a incitação ao ódio são crimes e nada têm a ver com liberdade de expressão. 

Jornal Nacional se posiciona sobre o caso

Em vídeo, divulgado também na página oficial do Jornal Nacional no Facebook, William Bonner, Renata Vasconcellos e a equipe do programa apoiaram a jornalista. Assista: 

 

#SomosTodosMajuCoutinho #SomosTodosMaju

Posted by Jornal Nacional on Sexta, 3 de julho de 2015