No Brasil, Malala fala sobre a importância da diversidade no ensino

A vencedora do Prêmio Nobel da Paz está no país para debater a importância da educação

A ativista Malala Yousafzai, 20 anos, a mais jovem vencedora do Prêmio Nobel da Paz, está no Brasil para falar sobre um tema forte na sua trajetória: o poder transformador da educação e da leitura. Promovido pelo Itaú Unibanco, o evento está sendo realizado no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, e transmitido ao vivo pelo Facebook, YouTube e Twitter do banco.

Ana Lucia Villela, presidente do Instituto Alana e primeira mulher a integrar o Conselho de Administração do Itaú Unibanco, abriu o quarto painel do dia falando sobre a importância da diversidade na educação.

“A escola precisa olhar para a força dos seus alunos, dos seus professores, dos pais e do entorno. São eles que vão resolver, não somos lá de fora. A gente precisa de uma padronização, de um currículo, sim. Mas a gente não pode esquecer que cada comunidade tem a sua história”, disse Ana Lucia. Na sequência, Malala fez um discurso emocionante sobre o tema.

Veja o que Malala disse sobre o tema:

“Eu acho que diversidade é uma coisa extremamente importante, para mim significa beleza e trás beleza ao nosso ambiente, ao nosso país e às escolas que a celebram. É muito importante você celebrar a diversidade sempre seja onde for, na TV, nas empresas… A gente precisa disso em todos os lugares. Toda a população precisa receber oportunidades iguais, principalmente na escola. É importante que as crianças saibam pelos livros e professores que tem oportunidades iguais para todo mundo, que ter a cor diferente ou a religião diferente não significa que não pode ter as mesmas metas que todo mundo. É importante celebrar a diversidade e é importante que os alunos tenham acesso a essas oportunidades. Muitos alunos pensam que não podem isso ou aquilo porque acham que a oportunidade não lhes cabe. Não pode haver fronteiras na maneira com que as crianças vislumbram o seu futuro”

O evento

Além de Malala, foram convidadas para o debate a escritora e vencedora do Prêmio CLAUDIA 2017 Conceição Evaristo, a diretora da Casa do Zezinho e vencedora do Prêmio CLAUDIA 2015 Dagmar Rivieri e a criadora do Mapa da Educação e finalista do Prêmio CLAUDIA 2017 Tabata Amaral.

A mediação está sendo feita por Adriana Carranca, autora do livro Malala, a menina que queria ir para a escola. Na plateia, estão estudantes de escolas públicas e organizações do setor de educação.

Falando nisso…

A votação da 23 edição do Prêmio CLAUDIA já está aberta! Neste ano, o nosso tema é Educação. Homenagearemos as iniciativas que estão mudando o país a cada dia. Conheça as finalistas e participe!

Assista ao evento na íntegra: