Futebol norueguês aprova equidade salarial para homens e mulheres

Jogadores da seleção masculina aceitaram reduzir seus salários para que as colegas da seleção feminina recebessem um aumento

Aos poucos, o futebol mundial avança na luta por igualdade de direito entre os gêneros. No último sábado (7), a Federação Norueguesa de Futebol anunciou que o time masculino e o feminino receberão pagamentos iguais para defender a seleção do país.

A equipe masculina aceitou promover uma redução salarial em seus vencimentos a fim de receberem o mesmo valor que a equipe feminina pelas participações com a camisa do país. Com isso, as mulheres ganham um aumento.

Até então, os jogadores recebiam mais do que o dobro que as jogadoras norueguesas. Os salário pagos às atletas chegavam a 3,1 milhões de coroas norueguesas (aproximadamente R$ 1,2 milhões). Para os homens, o faturamento mensal girava em torno de 6,5 milhões (aproximadamente R$ 2,6 milhões).

A mudança anunciada pela Federação, que vale a partir 2018, faz com que as duas equipes recebam o mesmo valor de 6 milhões de coroas (quase R$ 2,4 milhões). A quantia inclui um montante de 550 mil coroas doado pelos atletas homens, que decidiram pagar pelos acordo de publicidade que receberam.

Leia mais: Demissão de técnica faz jogadoras deixarem seleção brasileira

Em seu perfil oficial no Instagram, a jogadora Caroline Graham Hansen comemorou e agradeceu a parceria com seus companheiros de seleção. “Esse gesto significa tudo para nós (…) Obrigada por darem esse passo pelas atletas mulheres. Por mostrarem [o que é] igualdade e por nos ajudarem, por tornar a busca pelos nossos sonhos mais fácil. Por torná-los reais!”