Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Mulheres se estapeando em cenas de novela: até quando?

As brigas de personagens femininas nas novelas podem te prejudicar mais do que você imagina.

Por Fábio Garcia - Atualizado em 15 jan 2020, 12h54 - Publicado em 19 jul 2019, 16h36

Durante meses, personagens de novelas vivem uma espécie de Guerra Fria na história, em que uma vilã tenta prejudicar uma mocinha sofredora até esta não aguentar mais. Quando o copo transborda, o deleite do público é ver como a protagonista (normalmente uma mulher bem passiva em suas atitudes) deixa a educação de lado e sai na porrada com a vilã. É o que chamamos de catarse, o momento em que o público se sente realizado.

Embora tenhamos avançado bastante na forma como mulheres são retratadas e respeitadas na teledramaturgia, o barraco entre duas mulheres se mantém firme e forte. Nessa sexta-feira (19), será o esperado dia de ‘A Dona do Pedaço‘ em que a influencer Vivi Guedes (Paolla Oliveira) e a ex-freira Fabiana (Nathalia Dill) vão sair na mão por causa de um conflito de interesses.

Finalmente veremos Fabiana colocando para fora toda a frustração por ter sido abandonada enquanto sua irmã era criada com pais adotivos milionários, o motivo do conflito entre as duas. A treta entre as irmãs, como era de se esperar, vai ter uma troca de tapas entre as envolvidas.

E esse recurso antiquado não é exclusivo de ‘A Dona do Pedaço’. Recentemente, Dalila (Alice Wegmann) de ‘Órfãos da Terra‘ passou pela mesma situação: ao ter seu plano maléfico exposto, acabou brigando fisicamente com a protagonista Laila (Julia Dalavia) na frente de todos. E se olharmos nas novelas em geral, não faltam cenas “clássicas” de grandes surras femininas: quem não se lembra da surra que Maria Clara Diniz (Malu Mader) deu na Laura (Claudia Abreu) em Celebridade ou então como Nazaré (Renata Sorrah) virou um saco de pancadas nas mãos de Maria do Carmo (Susana Vieira) em ‘Senhora do Destino‘?

Mais recentemente, em ‘A Força do Querer‘, Gloria Perez colocou duas de suas personagens brigando por um homem. Joyce (Maria Fernanda Candido) havia sido traída pelo marido e foi descontar suas frustrações na amante, Irene (Debora Falabella). Nessa mesma época o assunto já nos inquietou, e procuramos especialistas para tentar explicar o quanto brigas entre mulheres na televisão são um desserviço para a sociedade. Infelizmente, tudo o que foi dito continua muito atual, mesmo tendo se passado três anos.

A Forca do Querer surra de Ritinha e Joyce em Irene
A Força do Querer: a mulher traída recebe ajuda para descer a mão na amante do marido

A repórter Raquel Drehmer conversou na época com a psicóloga e sexóloga Marcia Sando, especialista na saúde psíquica feminina, que havia explicado que mulheres não precisam brigar por causa de homem ou por qualquer outro motivo. “Isso só reforça o mito de que mulher é inimiga de mulher, uma ideia criada e vendida pelo patriarcado para nos desunir, porque sabe que unidas temos muito poder”, apontou.

A mesma psicóloga explicou que a televisão tem o poder de educar e deseducar, e que as pessoas acabam se espelhando muito no que veem. Ou seja, uma briga na televisão afeta de alguma forma o público, que passa a achar que aquela pode ser a solução para um problema. A forma de se evitar isso seria termos mulheres mais racionais nas novelas, que resolvem problemas após analisar as situações.

A Dona do Pedaço: repeteco clichê mostra a vilã caída no chão e a mocinha por cima, batendo na rival Fabiano Battaglin/TV Globo

Os apontamentos da psicóloga à época da briga de ‘A Força do Querer’ continuam funcionando muito bem agora em 2019. E com um agravante: não há qualquer mulher na equipe de roteiristas de ‘A Dona do Pedaço’, ou seja, todo o comportamento feminino que aparece na trama é pensado através do ponto de vista masculino.

Até quando teremos duas personagens brigando fisicamente e estimulando uma desunião entre as mulheres? Infelizmente, parece que por muito tempo ainda.

Continua após a publicidade
Publicidade