CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS
Rachel Jordan Referência no mercado de consultoria de imagem, Rachel Jordan é especialista em comportamento profissional e atua como consultora, mentora e palestrante para empresas e pessoas que desejam desenvolver suas habilidades emocionais e alavancar a carreira. Co-autora do Livro À Sua Moda – 4Talks, Rachel também ministra cursos e workshops na área

Como seu comportamento pode impactar a sua imagem ou de uma marca

Repercussões negativas podem comprometer a credibilidade e confiança

Por Rachel Jordan 15 fev 2022, 10h35

Em um mercado de alta competitividade e impactado constantemente pelas mudanças sociais e comportamentais, empresas e profissionais precisam estar atentos à forma como se apresentam. Ter uma imagem positiva é essencial à credibilidade e ao sucesso de uma marca ou à trajetória de um profissional. 

É muito importante identificar como o seu comportamento está interferindo na sua imagem profissional ou na sua marca. Ninguém deseja ter a sua imagem associada à uma experiência malsucedida, assim como nenhum profissional quer ser lembrado em seu ambiente de trabalho como um exemplo negativo, não é mesmo?

Em se tratando de grandes marcas, principalmente em alguns segmentos, como o de moda, beleza, esportes e entretenimento, a grande preocupação tem sido entender as reais necessidades do público-alvo promovendo experiências diferenciadas e inovadoras de olho na fidelidade e confiança do consumidor.

A principal estratégia das empresas tem sido a de manter a reputação de suas marcas inabaladas. Para isso, o canal publicitário é um aliado importante nesse cenário em que não há mais lugar para preconceitos. Hoje o consumidor busca a sensação de pertencimento e empatia que uma marca tem a oferecer. 

Ícones da moda, celebridades e esportistas têm associado suas imagens a marcas que defendem valores nos quais eles e seu público acreditam e defendem. O que significa uma responsabilidade e um desafio muito grande, pois, apesar de toda estratégia e cuidado que envolvem ações desse porte, muitas coisas estão em risco. Afinal, a mensagem transmitida pode não ser bem recebida e avaliada de forma negativa.

No caso de repercussão negativa de uma ação, tanto a reputação de uma marca como a imagem de um profissional podem sofrer um grande desgaste e comprometer a credibilidade e a confiança construídas ao longo de anos. 

De olho nessa instabilidade atual, as marcas têm procurado estar conectadas aos movimentos e às mudanças da sociedade, procurando engajar seu público com um discurso inclusivo e empático para conferir mais autoridade ao seu negócio. Mesmo assim, equívocos acontecem, e não são raros.

Mas, por outro lado, quando a experiência é positiva, tanto a marca que criou a ação, como os profissionais que nela estão envolvidos, têm a reputação fortalecida, além de mais valor agregado à marca e à imagem profissional. 

Nunca devemos nos esquecer de que a imagem é o resultado das percepções que provocamos na mente das outras pessoas. Todo esse quebra-cabeças que montamos com o objetivo de construir uma imagem positiva deve ser muito bem cuidado, afinal trata-se da nossa identidade.

Continua após a publicidade

A maneira como nos apresentamos ou nos comportamos em determinadas situações, diz muito sobre nossos valores e propósitos de vida. No caso das marcas, especificamente, muitas trabalhavam mais o lado lúdico e criativo na hora de “vender” sua imagem. Não que hoje essas habilidades tenham se tornado menos importante, pelo contrário.

No entanto, é cada vez mais recorrente o exemplo de marcas que investem em situações reais do cotidiano, com uma postura de comportamento mais clara e explícita, para engajar o consumidor que se enxerga vivendo a mesma experiência proposta pela marca.

Em se tratando da marca pessoal, a grande questão é que muitas pessoas não se percebem como uma marca. Dessa maneira, muitas vezes se descuidam da forma como se comportam e agem diante de seus interlocutores, principalmente no ambiente de trabalho.

Isso significa que, muitas vezes, sem perceber, nos autossabotamos com atitudes e comportamentos que depõem contra a nossa reputação.

Ao agirmos dessa maneira acabamos reduzindo nossas chances de crescimento e de ter uma trajetória bem-sucedida porque não sabemos como desenvolver nossa marca pessoal por meio de nossas melhores habilidades.

O que você tem feito para construir uma imagem positiva que favoreça a sua marca pessoal? Abaixo ofereço algumas sugestões que podem ajudar para potencializar a sua marca pessoal. 

Autoridade – Se sua meta é fazer a diferença na sua empresa, comece a pensar que pontos pode melhorar para construir uma imagem de confiança e credibilidade. Autoconhecimento e aprendizado constante formam uma importante ferramenta para o seu crescimento pessoal. Conquiste autoridade na sua área de atuação, assim conseguirá construir uma marca pessoal respeitada e lembrada por todas (os).

Investimento – Se está criando seu próprio negócio, foque na imagem que pretende imprimir à sua marca. Invista num canal de comunicação transparente e conectado à realidade do seu público-alvo. Pesquise para descobrir a melhor forma de transmitir suas mensagens, principalmente nos meios digitais que funcionam como uma importante vitrine. 

Redes Sociais – Aprenda a usar as redes sociais a seu favor no ambiente de trabalho ou para a sua empresa. A forma como você se mostra, os discursos que defende e suas atitudes são avaliadas a todo instante. As empresas hoje estão mais atentas ao comportamento de seus colaboradores nas redes porque eles (as) podem impactar positiva ou negativamente uma marca. Antes de uma postagem, avalie se seu conteúdo é positivo e se agregará valor à sua marca.

Positividade – Desenvolva atitudes positivas no seu trabalho. Ninguém quer interagir e aprender com quem sempre apresenta uma visão negativa das situações. Uma boa estratégia é procurar, na medida do possível, ver o lado bom de cada questão. Transmita boas energias e confiança para seus interlocutores. Pequenas atitudes como essas nos ajudam a solidificar nossa marca pessoal.

Continua após a publicidade

Publicidade