Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

7 dicas para montar o quarto de uma criança autista

O ambiente deve ser estimulante na medida perfeita, seguro e acolhedor.

Por Daniella Grinbergas - Atualizado em 15 jan 2020, 21h03 - Publicado em 2 abr 2019, 09h00

Crianças autistas costumam ser mais sensíveis a estímulos. Por isso, é preciso saber equilibrar a decoração, criando cantos mais atraentes, que ajudem no desenvolvimento, e cantos mais reservados, para que elas se sintam realmente acolhidas. Além disso, segurança é fundamental.

Confira as dicas de especialistas para transformar o quartinho nesse refúgio especial.

E lembre-se: cada criança é única e tem necessidades específicas. Converse com o médico que faz o acompanhamento para saber se há alguma recomendação específica para o seu caso.

1. Aposte na decoração clean para o canto de dormir

Na área da cama, mantenha as paredes em tons claros e tranquilizantes – nada de cores quentes ou vibrantes. Pinte as superfícies com tonalidades clarinhas, na cor preferida da criança.

Continua após a publicidade

Outra dica é evitar quadros, prateleiras ou outros itens que capturem a atenção do pequeno.

2. Deixe o quarto mais silencioso

Os estímulos sonoros podem fazer os autistas se distraírem, além de incomodá-los em várias situações. Por isso, escolha um cômodo mais afastado do barulho da casa e da rua.

Invista em itens que gerem conforto acústico – pode ser uma proteção antirruído para a janela, uma cortina mais pesada para diminuir o barulho de fora…

E atenção ao uso de equipamentos como ar-condicionado e ventilador: o ruído deles pode ser bem incômodo.

Continua após a publicidade

3. Provoque os reações no canto de brincar

Na área das brincadeiras, pense em estratégias que estimulem a comunicação. A dica dos especialistas é deixar os brinquedos bem à vista para criar interesse, mas alguns fora de alcance ou com algum impedimento (como um pote tampado) que faça com que o pequeno te peça ajuda. Isso incentiva a busca pela comunicação verbal.

4. Invista em brinquedos e objetos estimulantes

Crianças pedem atividades mais lúdicas, como pintura, massinha e jogos. Balanços, túneis e objetos que elas possam explorar também são uma boa pedida. Se houver espaço, vale colocar uma mesinha com cadeiras para ajudar na concentração.

Converse com o médico da criança para entender as necessidades sensoriais dela e poder incluir as atividades mais adequadas.

5. Reserve uma boa área livre

Pessoas com autismo precisam de um cômodo bem organizado. Por isso, pense na ordem das coisas e deixe um bom espaço de chão livre para as atividades.

Continua após a publicidade

6. Fique de olho na segurança

Escolha móveis seguros, com quinas arredondadas e bem fixos para evitar acidentes. Perceba se não há objetos no alto próximos aos móveis para que o pequeno não tenha a ideia de escalar o mobiliário.

Cubra as tomadas com protetores.

7. Deixe a rotina à vista

A ideia é montar um quadro de rotina bem visual para que tudo seja previsível. Pode ser um mural, uma lousa ou um quadro que exponha de maneira bem simples as atividades do dia. Isso ajuda na compreensão da rotina e diminui a ansiedade da criança.

Use objetos bem representativos, como fotos ou ilustrações: se for hora de se trocar, aponte no quadro a imagem da roupa.

Continua após a publicidade

Fontes: Inspirados pelo autismo, neurologista infantil e neuropedriatra Clay Brites e psicóloga Mayra Gaiato

Publicidade